E Agora? A Culpa é de Quem?? - VIDA DE BOMBEIRO

_______________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quarta-feira, 25 de julho de 2018

E Agora? A Culpa é de Quem??


Tenho ouvido muitas opiniões de indignação pela ajuda disponibilizada à Suécia e Grécia pelo estado Português, sobre os custos associados à ajuda!

Ainda ontem e como tem vindo a ser habitual, no jornal da SIC NOTÍCIAS quando da entrevista ao Sr. Secretário de Estado da Protecção civil, José Artur Neves a única preocupação é insistência por parte do Jornalista era saber dos custos resultantes da ajuda enviada por Portugal. 

Mas no ano passado não vi a mesma estação televisiva assim como outra, a questionar qual o valor gasto pelos os países que nos vieram ajudar quando Portugal precisou.

Jornalismo de baixo nível, falta de inter-ajuda, de certo que nunca fez nada pela sociedade.

Os meios de comunicação social solicitam de forma urgente, disponibilidade nos próximos dois dias, para especialistas, opinadores, opinantes, catedráticos, peritos coordenadores, peritos, peritos júniores, peritos estrangeiros,ex-comandantes, tarólogos, cartomantes, bruxos, recém licenciados, treinadores de bancada ou meros curiosos em combate a incêndios florestais e gestão de catástrofes, para completar os inúmeros painéis de comentadores de programas relativos aos incêndios que assolam a Grécia e Suécia.

Morreram na praia, não ao chegar do mar mas tentando refugiar-se nele. Tirando esse momento de poesia, que é talvez inadequado, as notícias que nos chegam dos fogos gregos não nos deixam entender a tragédia. São essas notícias isto: houve já dois invernos sem água e ontem a temperatura era tórrida, os ventos furibundos, as chamas rápidas e o mar soprado fazia vagas alterosas. As notícias quantificaram cientificamente essas condições em graus Celsius, em escala de Beaufort e medidores de humidade. E, sim, suspeita-se de que a mudança climática não é uma invenção. Mas, a sério, acham que esses números explicam alguma coisa?

São essas notícias isto: a costa grega está sobrelotada, as escarpas gregas ocupadas por gigantescos hotéis, as estradas gregas afuniladas e as florestas gregas descuidadas. Mas, senhores, vale mesmo a pena voltar a acusar a inexistência de política ambiental e de educação cívica? E apontar o dedo aos poderes impotentes e à ganância? A de agora e a de ontem, de todos e antiga, num país mediterrânico, palavra que sugere há muito não haver nada a fazer...

Ontem, as notícias insistiram, pois, no clima e a sua mudança, na política e a falta dela. Como se isso nos pudesse explicar alguma coisa. Senhores dos jornais, vocês falam para portugueses: gente que não se deixa enganar por generalidades e querem acusações exatas, imediatas e bem apontadas! Digam-nos: como se chama a ministra grega patroa dos fogos, que não sabe falar, quando há câmaras de televisão põem-se à frente dos outros e no verão passado apareceu numa revista de fofocas? Já passou um dia e nem sabemos o nome da ministra grega! Assim, como é que querem que saibamos de quem é a culpa dos fogos nos arredores de Atenas?!

Por cá ao ver um  jornalista da SIC Noticias a insistir tenazmente, durante uma entrevista ao secretário de Estado da Proteção Civil, em quanto é que vai custar o apoio que Portugal decidiu dar à Grécia e à Suécia no combate aos terríveis incêndios que assolam aqueles países, ao ver essa preocupação se esses meios (aliás, muito limitados) “não nos farão falta”, ao ver a reação de alguns a esse apoio, percebe-se o estado a que a Europa chegou, em que a ideia de solidariedade foi substituída pelo egoísmo mais reles. 

Alguém se lembrou o ano passado de ir perguntar aos países que nos ajudaram quanto é que isso lhes custou ou se esses meios não lhes poderiam ter feito falta? Que tristeza! 

O porta-voz da Comissão Europeia para Ajuda Humanitária e Proteção Civil enalteceu o "belíssimo exemplo" de Portugal, que ofereceu ajuda à Suécia e à Grécia para combater os violentos incêndios que lavram naqueles países.

Em declarações aos jornalistas, durante uma visita ao Centro de Coordenação de Resposta de Emergência da União Europeia, em Bruxelas, Carlos Martin Ruiz de Gordejuela confirmou a oferta de ajuda à Grécia por parte de Portugal, que já hoje enviou dois aviões médios anfíbios para a Suécia, explicando que a receção desta se encontra pendente de aprovação por parte das autoridades gregas.

Temos muitos palhaços em Portugal...

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________