Comandante Nacional da Proteção Civil Demitiu-se em Rota de Colisão com Governo - VIDA DE BOMBEIRO

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

terça-feira, 8 de maio de 2018

Comandante Nacional da Proteção Civil Demitiu-se em Rota de Colisão com Governo


O Comandante Nacional da Proteção Civil, António Paixão, demitiu-se do cargo. Paixão sai em rota de colisão com a estratégia do Governo apenas cinco meses depois de ter tomado posse. O coronel Duarte Costa vai ser o novo Comandante Nacional da Proteção Civil.

Nos últimos meses, António Paixão já tinha dado sinais de descontentamento em relação à dificuldade em operacionalizar a estratégia que tinha desenhado e devido à falta de meios aéreos. No domingo, contou apenas com três helicópteros para 100 incêndios que deflagraram no país.

O episódio que o terá levado a pôr o lugar à disposição terá acontecido na passada sexta-feira durante uma reunião no Ministério da Administração Interna onde terá entrado em confronto aberto com o Presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Marta Soares. 

Ao que a RTP apurou, o Coronel Paixão abandonou a reunião que era liderada pelo secretário de Estado da Administração Interna e colocou o lugar à disposição.

O CDS-PP já anunciou que quer ouvir António Paixão, com caráter de urgência, no Parlamento, sobre o planeamento e execução do dispositivo de combate a incêndios florestais para 2018. O PSD revelou que vai chamar António Paixão já esta terça-feira à primeira comissão.
"Motivos pessoais"

O coronel Duarte da Costa, do Exército, sucede agora a António Paixão que tinha assumido o cargo a 4 de dezembro do ano passado. António Paixão abandona o lugar, e sai em rota de colisão com a estratégia do ministério após um mandato de apenas cinco meses.

Em nota enviada à comunicação social, o Governo confirmou a notícia avançada pela RTP, alegando que Paixão “pediu a exoneração do cargo, por motivos pessoais”. O Ministério da Administração Interna atesta ainda que foi designado Duarte da Costa para exercer as funções de Comandante Nacional.

“O Coronel Tirocinado José Manuel Duarte da Costa, Chefe do Estado Maior do Comando das Forças Terrestres, é responsável pelas áreas de planeamento e execução da atividade operacional da componente terrestre das Forças Armadas”, explica a nota enviada pelo Ministério à comunicação social.

O Ministério indica ainda que Duarte da Costa “é responsável pela implementação de soluções organizacionais respeitantes ao emprego dos recursos humanos, materiais e financeiros em missões militares, sejam elas ligadas à capacidade de combate ou à capacidade de continuadamente executar missões de apoio militar de emergência e de apoio ao desenvolvimento e bem-estar das populações, no suporte e aconselhamento do processo de decisão dos Chefes Militares”.


C/ Christopher Marques - RTP
Foto: SIC Noticias

Sem comentários:

Enviar um comentário