Suspeito de Incêndios na Madeira Condenado a Três Anos de Prisão Efetiva VIDA DE BOMBEIRO: Carta da Esposa de Um Bombeiro

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Carta da Esposa de Um Bombeiro


Olá marido:

Escrevo esta carta para que fique registado que estou a pensar em ti...

Sabes? Quando namorávamos já tu andavas nessa farda, que confesso, achava que te ficava lindamente. Eras o meu bombeiro. Quando avançámos na relação sempre dei valor a tudo o que fazias por mim e comecei a amar-te cada vez mais, tal como até agora cada vez te amo mais... Ao contrário de detestar cada vez mais o que fazes.

Aquilo que eu ao inicio achava engraçado, agora não acho mais, mas acompanho essa tua paixão porque nunca deixaste de me amar por isso, e nunca me faltaste... Mas sabes? Hoje em dia temos a nossa família e o nosso filho que te adora... 
Ele guarda o teu boné com ele, à espera que voltes, até já encontrou um desenho de uma ambulância para pintarem juntos, ele diz que é o carro do papá...

Não vou falar desta época dos incêndios, vou falar de tudo, porque tenho medo o ano todo, cada vez que sais de manhã com essa farda vestida que te fica lindamente, mas que detesto... Porque não se sabe como evolui um incêndio, mas também não se sabe quando numa cheia vem uma enxurrada (e tu não sabes nadar), não se sabe quando num acidente pode alguém não ver a placa que diz acidente, e que vocês põem tão criteriosamente, não se sabe quando aquele salvamento num 5° andar pode correr mal, não se sabe nada, porque durante 365 dias tu e qualquer bombeiro são-no 366 dias...

Vocês respiram isso e vivem isso de uma forma que são roubados de nós. Da família... Para mim o perigo é uma coisa, para ti o perigo é o teu nome do meio, que transforma o meu nome do meio, em medo...

O teu filho diz que quer ser como tu, espero que como homem o seja, mas que não siga os trilhos profissionais, nenhuma mãe o quer... Mas se seguir, espero que seja com os teus passos... E para isso peço que voltes agora e em todas as missões que cumpras, só a cumpres depois de voltares.

Porque o teu comandante não te põe de castigo, mas ponho eu!!! Porque sou eu que quando não te tenho cá, não tenho o meu pilar, aquele marido único que tudo divide comigo, as tarefas, os risos e os choros... Tu és pai, marido e homem... Portanto amo-te a ti e odeio o que fazes... Que fique claro... (adoro a tua farda, mas aquelas calças de ganga e a camisa negra também me seduziram) por isso promete que voltas agora, e no resto do ano...
O teu amor, a tua mulher...

Pedro Filipe Gomes Bandeira @Pedro ''Espia''
Bombeiro de 3ª nº 359
Bombeiros Voluntários de Paço de Arcos
Todos os direitos reservados
Comentários
0 Comentários

Sem comentários:

Enviar um comentário

2015 Copyright – Todos os Direitos Reservados : VIDA DE BOMBEIRO