Bombeiros Recebem Novas Viaturas de Combate a Fogos no Âmbito do PRR - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

sábado, 15 de junho de 2024

Bombeiros Recebem Novas Viaturas de Combate a Fogos no Âmbito do PRR

 


A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) entregou esta sexta-feira em Pombal, no distrito de Leiria, 15 veículos de combate a incêndios florestais a corporações de bombeiros voluntários, no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).


Foram também  atribuídos esta sexta-feira, cinco veículos de comando à estrutura operacional da ANEPC.


Segundo a Proteção Civil, foram entregues às corporações de bombeiros dez veículos florestais de combate a incêndios (VFCI) e cinco veículos tanque táticos florestais (VTTF) ao abrigo do programa "Mais floresta - Reforma do Sistema de Prevenção e Combate de Incêndios", do PRR.


A ANEPC indica, numa nota, que este é o segundo lote de veículos entregue aos bombeiros de um total de 81 adquiridos no âmbito do PRR. As primeiras 10 viaturas foram entregues em maio.


A ANEPC explica que, através da medida "Reforço das Entidades do Ministério da Administração Interna, com veículos e equipamentos operacionais", foi possível a aquisição de 81 veículos das tipologias VFCI e VTTF, num montante de mais de 14 milhões de euros e que se prevê distribuir até ao final do ano.


Estes veículos "vão permitir aumentar a capacidade da resposta operacional dos corpos de bombeiros, representando a maior distribuição de veículos para resposta aos incêndios rurais de sempre".


A cerimónia de entrega das viaturas foi presidida pelo primeiro-ministro, Luís Montenegro, e contou com a presença do secretário de Estado da Proteção Civil, Paulo Simões Ribeiro.


O dispositivo de combate a incêndios rurais voltou no dia 1 a ser reforçado pela segunda vez este ano, passando a estar no terreno 12.096 operacionais e 70 meios aéreos.


Este dispositivo vai estar no terreno todo o mês de junho, no que é denominado 'nível Charlie'.


Os meios de combate voltarão a ser reforçados em 1 de julho e até 30 de setembro - "nível Delta" -, naquela que é considerada a fase mais crítica de fogos e que mobiliza o maior dispositivo. Estarão este ano em prontidão 14.155 operacionais de 3162 equipas e 3173 viaturas, um ligeiro aumento em relação a 2023.


No entanto, a época considerada mais crítica em incêndios rurais vai contar este ano com 70 meios aéreos, menos dois do que em 2023.


Dados provisórios do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) dão conta de que este ano ocorreram, até 1 de junho, cerca de 1200 ocorrências de incêndios que queimaram aproximadamente 2000 hectares.


JN

Sem comentários:

Enviar um comentário