Incendiário assume 15 fogos que queimaram 300 hectares de floresta - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________

quarta-feira, 21 de setembro de 2022

Incendiário assume 15 fogos que queimaram 300 hectares de floresta


 

A Polícia Judiciária de Braga, deteve ontem, com a colaboração da GNR, um homem de 36 anos, indiciado por 15 incêndios florestais, ocorridos entre os dias 23 de agosto e 02 de setembro, em várias freguesias do concelho de Vila Verde.


O detido, sem profissão e residente em Atães, assumiu a autoria dos incêndios. Nega no entanto ter sido o autor de outros fogos, na mesma zona, embora a PJ suspeite que poderá ter ateado outros tantos incêndios entre Vila Verde e Ponte da Barca, no mesmo período.


Em comunicado, a Polícia Judiciária de Braga refere que o incendiário usava o próprio carro nas deslocações para os locais onde pegava os fogos, com recurso a chama direta.


"Durante aquele período de tempo, várias freguesias do concelho de Vila Verde foram atingidas por uma onda simultânea de incêndios florestais, anormal e nunca vista na região, causando o pânico entre as populações locais", refere a PJ em comunicado, sublinhando que os incêndios causados pelo homem agora detido, consumiram mais de 300 hectares de floresta e representaram "elevadíssimo perigo concreto para as pessoas, para os seus bens patrimoniais e para o ambiente".


No combate a estes incêndios que iniciaram em pequenos focos e acabaram por se juntar num incêndio de grandes proporções, estiveram envolvidos mais de 160 bombeiros, 50 viaturas e 7 meios aéreos. "Apesar deste enorme dispositivo de combate, a ocorrência de vários incêndios consecutivos e distantes uns dos outros, obrigou a uma grande dispersão de meios, situação que colocou em perigo várias residências, pela dificuldade de alocação de meios para as proteger com a rapidez necessária", acrescenta a PJ.   


O detido será esta quarta-feira presente a juiz para ser sujeito a primeiro interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação.


Correio da Manhã

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________