Arcos de Valdevez Ganha Hangar no Centro de Meios Aéreos - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________

terça-feira, 6 de setembro de 2022

Arcos de Valdevez Ganha Hangar no Centro de Meios Aéreos

 


Estrutura custa cerca de 600 mil euros e servirá para dar apoio ao heliporto.


A construção de um hangar no Centro de Meios Aéreos de Arcos de Valdevez foi ontem lançada a concurso público, pelo valor base de 599,573.23 euros, de acordo com o anúncio publicado em Diário da República.


Segundo a publicação, a construção do hangar, para apoio ao heliporto situado no centro de meios aéreos na freguesia de Tabaçô, no concelho de Arcos de Valdevez, tem um prazo de execução de 180 dias.


Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara de Arcos de Valdevez, João Manuel Esteves, disse ontem que esta obra visa aumentar a operacionalidade em termos de proteção civil.


Helicóptero permanente


O centro de meios aéreos de Arcos de Valdevez dispõe, em permanência, de um helicóptero de combate a incêndios florestais nos dez concelhos do Alto Minho, sendo que já chegou a dispor de dois aparelhos durante dez anos, até 2020. Quando necessário, o centro de meios aéreos pode servir outras aeronaves mobilizadas para fogos na região.


O edifício construído de raiz em terrenos cedidos pelo conselho de baldios foi inaugurado na década de 90.


Em 2012, sofreu obras de requalificação, no valor de 383 478,52 euros, apoiadas pelo Programa Operacional de Valorização do Território, para edificação de alojamento.


Freguesias prioritárias


Segundo informação ontem consultada pela Lusa, na página oficial da Câmara de Arcos de Valdevez na Internet, a intervenção permitiu "criar um piso sobrelevado de alojamento e uma zona térrea de entrada e abrigo de viaturas".


Com uma área total de 222 mil hectares, o distrito de Viana do Castelo tem 208 freguesias, 99 das quais (8,9% do total do país) consideradas prioritárias na prevenção de fogos florestais e onde estão identificados 1185 lugares prioritários.


As 12 corporações existentes na região integram 690 bombeiros, sendo que apenas 65 são profissionais e integram a corporação dos sapadores de Viana do Castelo.


Além da capital do Alto Minho, também Caminha possui duas corporações de bombeiros voluntários, uma situada na sede do concelho e a outra em Vila Praia de Âncora.


Fonte: JN

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________