Bombeiro recorda dia trágico: "Acordo com os estoiros e os meus colegas a caírem para o lado" - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________

domingo, 5 de junho de 2022

Bombeiro recorda dia trágico: "Acordo com os estoiros e os meus colegas a caírem para o lado"

 


Chefe dos bombeiros revive episódio em que foi recebido a tiros e com explosivos.


Luís Abrantes, chefe dos Bombeiros de Canas de Senhorim, em Nelas, não esquece o dia 16 de fevereiro deste ano, quando ele e outros operacionais da corporação foram recebidos com tiros e explosões, ao iniciarem o combate a um incêndio numa antiga serralharia na aldeia de Vale de Madeiros, a cerca de três quilómetros do quartel.


O bombeiro, de 58 anos, foi atingido a tiro de caçadeira na zona do abdómen. Considerado o ferido mais grave entre as seis vítimas baleadas, esteve um mês em coma nos cuidados intensivos do Hospital de Viseu a lutar pela vida. Foi submetido a quatro intervenções cirúrgicas. Teve alta há uma semana, em 27 de maio, três meses depois de ter dado entrada no hospital e ainda está a recuperar. Anda de muletas, andarilho e cadeira de rodas, mas só pensa em voltar aos bombeiros. Faz fisioterapia e exercício diário. Perdeu 32 dos 138 quilos que tinha. Os médicos acreditam que a gordura o salvou.


Fonte: JN

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________