Novo Comandante dos Bombeiros da Póvoa de Lanhoso Aposta na Formação - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________

domingo, 22 de maio de 2022

Novo Comandante dos Bombeiros da Póvoa de Lanhoso Aposta na Formação

 


O novo comandante dos Bombeiros da Póvoa de Lanhoso, António Costa, afirmou este sábado que a formação contínua dos operacionais do corpo ativo é a sua grande prioridade, assim como a melhoria dos equipamentos de proteção individual de todos os elementos, agradecendo o esforço financeiro que está a ser realizado pelos dirigentes da instituição humanitária, para diariamente todos fazerem mais e melhor.


Falando na cerimónia de apresentação da nova equipa de comando, António Costa disse preconizar a evolução na continuidade, com os ensinamentos já recebidos dos elementos agora no quadro de honra, tendo corporizando no comandante, António Lourenço, ali presente, com quem muitos e ele próprio, António Costa, aprenderam e continuam ainda hoje a aprender, aquilo que deve ser feito, numa procura constante de aperfeiçoamento depois de uma boa formação de base.


Os bons exemplos e dedicação de décadas consecutivas em prol da segurança não só de todos os povoenses, mas também das populações vizinhas, onde, disse, aquele mesmo oficial, os seus operacionais já têm vindo a ocorrer e continuam disponíveis, perante a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, através das suas valências operacionais, o que este sábado reiterou, ao comandante distrital, Hermenegildo Abreu, assim como esperar reforços distritais para situações mais complexas, numa relação sempre sinalagmática.


O espírito de união que irá nortear aquele grupo de trabalho foi também destacado pelo novo comandante, da corporação da Póvoa de Lanhoso, numa cerimónia onde comparecerem dezenas de convidados de todo o distrito de Braga, incluindo individualidades que não estando atualmente em funções diretamente ligadas aos bombeiros, fizeram questão de estar presentes e abraçar não só António Costa, como também os outros elementos de comando, o 2º comandante, Nuno Rebelo, a par dos dois adjuntos, Vítor Coelho e João Cruz.


Com a frontalidade que lhe é peculiar em todas as suas facetas operacionais, o comandante, António Costa, disse poderem esperar todos da corporação, especialmente nos momentos mais difíceis, não cedendo nunca a fatalismos nas missões, isto é, com mais e melhor formação, os bombeiros povoenses não só sairão, como regressarão sempre ao quartel sãos e salvos, depois dos seus desempenhos em todos os teatros de operações.


O presidente da Câmara da Póvoa de Lanhoso, Frederico Castro, enquanto primeiro responsável pela Proteção Civil Municipal, ali ladeado pelo vereador do pelouro, Ricardo Alves, mostrou-se agradado com a postura e as palavras acabadas de proferir pelo novo comandante, António Costa, referindo que tais afirmações denotam saber muito bem aquilo que quer o agora responsável operacional por esta corporação.


Frederico Castro considerou como ideal a juventude, mesclada de experiência (quase três décadas no caso de António Costa), que carateriza todo o quarteto de comando da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso, reiterando que a autarquia continuará a apoiar a corporação como deve.


Há 27 anos nos bombeiros


António Costa, de 40 anos, natural e residente na Póvoa de Lanhoso, tem já 27 anos de carreira ininterrupta na corporação, onde em 1995 entrou como cadete, passando a aspirante em 1999, a bombeiro de 3.ª classe em 2000, de 2.ª classe em 2002, de 1.ª classe em 2004, subchefe em 2008 e chefe em 2018, ascendendo agora a comandante.


A outra faceta de António Costa é a atividade profissional como enfermeiro, no Hospital Central de Braga, iniciada em 2005, depois especialista em doentes críticos já a partir de 2013, a par das funções operacionais como elemento qualificado da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).


É também o enfermeiro responsável pelo plano de catástrofe do Serviço de Urgência do mesmo Hospital Central de Braga, bem como vice-coordenador do grupo de enfermeiros peritos de emergência extra hospitalar da Secção Regional do Norte da Ordem dos Enfermeiros, entre outras funções de destaque, não só enquanto operacional, como em órgãos de consulta técnica desta especialidade.


Fonte: O Minho

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________