Incêndios: Há Condições para Enfrentar um Verão "Muito Exigente", diz MAI - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________

segunda-feira, 30 de maio de 2022

Incêndios: Há Condições para Enfrentar um Verão "Muito Exigente", diz MAI

 


O ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, considerou, este domingo, que estão garantidas todas as condições para enfrentar um verão que se prevê "muito exigente" em termos de incêndios florestais.


"De acordo com as previsões, será um ano com temperaturas especialmente elevadas", disse o governante aos jornalistas em Lamego, onde este domingo presidiu às cerimónias do Dia Nacional do Bombeiro.


Segundo José Luís Carneiro, "ao nível do dispositivo de combate a incêndios rurais e também ao nível dos meios financeiros que o Governo disponibilizou para os bombeiros portugueses, está tudo feito aquilo que havia para fazer".


"Agora, há uma atitude que é de responsabilidade individual, de responsabilidade coletiva. Todos têm que contribuir para um verão sem fogos, mas um verão e um país sem fogos depende mesmo do comportamento e das atitudes de todos", frisou.


O ministro referiu que o Governo reforçou "os valores pagos aos bombeiros e aos comandantes" e também "valores pagos nos meios de mobilidade e de combate que são colocados ao serviço do dispositivo".


"E reforçámos com mais 2,5 milhões de euros aquilo que tem a ver com as condições de operacionalização dos meios para o combate aos incêndios florestais", acrescentou.


José Luís Carneiro sublinhou que se trata de "mais de 30 milhões de euros que, no conjunto do Orçamento de Estado e de outras medidas complementares", estão previstos para 2022.


Lusa

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________