Comandantes de Amares e Fafe Nomeados para a Gestão Integrada de Fogos Rurais no Distrito - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________

sexta-feira, 28 de janeiro de 2022

Comandantes de Amares e Fafe Nomeados para a Gestão Integrada de Fogos Rurais no Distrito

 


Os comandantes Domingos Ferreira, dos Bombeiros de Amares, e Paulo Ferreira, dos Bombeiros de Fafe, vão representar a Liga dos Bombeiros Portugueses na Comissão Subregional de Gestão Integrada de Fogos Rurais nas zonas do Cávado e do Ave, após escolha da nova direção da Liga dos Bombeiros Portugueses.


Domingos Ferreira, de 47 anos, é técnico licenciado na área da Proteção Civil e elemento de Comando dos Bombeiros de Amares há 19 anos. Foi escolhido para a comissão de área de influência da CIM do Cávado, que abrange os municípios de Vila Verde, Barcelos, Esposende, Amares, Terras de Bouro e Braga.


Já Paulo Ferreira é formador externo da Escola Nacional de Bombeiros, especialista em várias áreas no combate aos fogos. É bombeiro há 36 anos e elemento de Comando há oito. Passa a ser o representante na CIM do Ave, que abrange Cabeceiras de Basto, Mondim de Basto, Fafe, Vizela, Guimarães, Famalicão, Póvoa de Lanhoso e Vieira do Minho.


A representar as direções das associações de bombeiros, foram nomeados Maria José Gonçalves, presidente dos Bombeiros de Riba de Ave, para a região do Ave, e João Nunes, presidente dos Bombeiros de Esposende, para a região do Cávado.


Estas comissões são integradas nas Comunidades Intermunicipais e contam com a participação das forças políticas, de segurança, ICNF, DRAP, DGAV, serviços públicos de transporte, distribuição de energia elétrica, gás, comunicação e outros serviços de interesse público.


De acordo com a Agência de Gestão Integrada de Fogos Rurais, “este novo modelo de planeamento é mais policêntrico e é no programa sub-regional que tudo acontece, uma vez que os incêndios à escala intermunicipal são aqueles que mais preocupam e a partir daqui vamos definir o programa com base nos contributos que serão apresentados”.


A comissão sub-regional Tem como missão “a atuação das entidades públicas e privadas com competências ou matéria de gestão integrada de fogos rurais, proceder à monitorização e avaliação da execução do programa sub-regional de ação e propor melhorias operacionais a implementar nos anos seguintes, assim como promover o cumprimento dos programas de comunicação, de acordo com a estratégia nacional”.


Fonte: O Minho

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________