Marcelo Enaltece Coragem dos Dois Bombeiros Falecidos em Vinhais - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________

sábado, 24 de julho de 2021

Marcelo Enaltece Coragem dos Dois Bombeiros Falecidos em Vinhais

 


O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, destacou este sábado a coragem de Carlos Morais e Neuza Guedes, os dois bombeiros da Corporação de Vinhais que morreram na sequência de um acidente de viação com uma viatura pesada de combate aos incêndios florestais, na passada quinta-feira.


"A minha primeira palavra é a coragem. É preciso ser-se corajoso para ser bombeiro. Todos temos que ter coragem no dia a dia mas há quem, elas e eles, que têm que ter mais coragem todos os dias. Expondo a sua vida para salvar a vida dos outros", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa nas cerimónias fúnebres que decorrem desde as 15 horas em frente ao quartel dos Bombeiros Voluntários de Vinhais, onde se deslocou para mostrar a sua solidariedade e dar um abraço às famílias das vítimas e aos colegas dos Bombeiros Voluntários desta vila do distrito de Bragança.


"A Neusa teve coragem. O Carlos teve coragem. Nasceram e morreram bombeiros", afirmou o chefe de Estado, visivelmente emocionado com esta tragédia, sublinhando que a segunda palavra que queria referir é paixão. "Ser-se bombeiro implica paixão. A paixão de servir os outros. Servir sempre 24 horas por dia. Dia e noite. Mais no verão, mas também no inverno. Todas as estações do ano. Toda a vida", disse Marcelo às dezenas de pessoas que assistiram às cerimónias fúnebres.


A terceira palavra que o presidente da República realçou foi "família". "Nós, portugueses, somos uma família mas dentro dessa há famílias. Eu aqui quero acompanhar a dor das duas famílias que viram partir quem não devia partir tão cedo. A família dos bombeiros. A Neuza foi bombeira porque os irmãos eram bombeiros e quis o destino que partisse nos braços de dois irmãos que puderam salvar quem puderam, mas não a puderam salvar nem a irmã, nem o Carlos", acrescentou.


A gratidão foi outra das palavras que Marcelo Rebelo de Sousa deixou aos bombeiros. "Não sabemos como exprimir a nossa gratidão à Neuza e ao Carlos e neles a todas as bombeiras e bombeiros de Portugal", frisou porque "às vezes só nos lembramos deles quando o calor aperta, surgem os fogos, quando há aflições, quando tememos tragédias. Porque nós sabemos que eles estão lá", destacou,.


A sua última palavra foi "vida", apesar de parecer estranho que se fale em vida no momento de morte. "Para estes heróis a partida foi um símbolo de vida. Eles partiram deixando todos nós em perda, sobretudo a família e os companheiros de luta, sobretudo as bombeiras e bombeiros de Portugal", justificou.


Carlos Morais e Neuza Guedes, de 22 e 37 anos, seguiam integrados numa equipa de cinco bombeiros para combater um incêndio rural numa freguesia de Vinhais, quando o veículo se despistou, capotou e resvalou por uma ravina. Dois jovens que o Presidente da República considerou "um exemplo de vida".


Do acidente resultaram ainda três feridos, uma mulher, Elsa Santos, com 44 anos, que ficou ferida com gravidade e está internada no Hospital de Vila Real, e dois homens, de 56 e 32 anos, que passaram a noite de quinta para sexta-feira em observação e vigilância no Hospital de Bragança, mas tiveram alta clínica ao longo de sexta-feira.


Às 15 horas deste sábado, as corporações de bombeiros do país prestaram homenagem nacional simbólica aos dois soldados da paz falecidos, a pedido da Liga dos Bombeiros Portugueses, que solicitou que todos os quartéis colocassem a bandeira a meia haste até ao final do funeral dos operacionais de Vinhais e que soassem as sirenes à hora do início das exéquias.


Fonte: JN

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________