Rui Laranjeira Deixa o Comando de Águas de Moura - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________

quarta-feira, 2 de junho de 2021

Rui Laranjeira Deixa o Comando de Águas de Moura

 


Ingressou, no final do mês de maio, no quadro de honra dos Bombeiros de Águas de Moura, o comandante Rui Laranjeira depois de 27 anos de total entrega escorada pelo saber mais e pelo fazer melhor. Depois de 15 anos no comando, cumpridas três comissões de serviço, chegou o tempo de enfrentar outros desafios, até porque como sempre defendeu este seria o período "máximo" para concretizar o projeto que apresentou à associação humanitária e às mulheres e homens que integram o corpo ativo.


"Conclui a terceira comissão no passado mês de setembro, que culminaria com as comemorações do Dia da Unidade, em outubro, data coincidente com a minha tomada de posse no ano de 2005", refere num texto enviado ao jornal Bombeiros de Portugal, no qual refere, ainda:


"A pandemia roubou, a mim e a todos, a oportunidade de findar este ciclo da forma que tanto gostaria, mas a vida é mesmo assim, nem sempre podemos como queremos", e por isso mesmo Rui Laranjeira ainda encetou a quarta comissão de serviço, mas esses meses serviram, no essencial, para reforçar convicções:


"É fundamental renovar e revitalizar as instituições, deixar surgir e emancipar novos talentos que possam trazer consigo a frescura e jovialidade que as instituições precisam para se modernizarem e evoluírem", escreve o agora comandante do quadro de honra.


"Termino com pleno sentimento de missão cumprida, com consciência que muito fica por fazer, reflexo de uma constante dinâmica que sempre imprimimos na instituição e nas pessoas. Foram centenas de projetos concretizados e outros tantos que ficam lançados para se perfilarem com todos os novos que, entretanto, surgirão", assinala Rui Laranjeira, considerando que esta associação tem um "extraordinário potencial, humano e estrutural, que permite desempenhar um papel imprescindível no âmbito da sua missão e das atividades de proteção civil e socorro em Portugal".


Na hora da partida, deixa agradecimentos a todos quantos o acompanharam na demanda de servir não só o concelho de Palmela, nem apenas o distrito de Setúbal, mas todo País, nomeadamente aos restantes elementos da estrutura que liderou, aos bombeiros e ao "seu" presidente da direção, para quem deixa palavras de muito apreço:


"Este relacionamento entre comandante e presidente, permitiram desenvolver as minhas funções de uma forma que poucos tem o prazer de poder (…) não há nenhum comando que tenha uma relação tão boa com a sua direção como eu! Pode haver quem tenha idêntico, mas melhor não há".


O comando do corpo de bombeiros, no período de transição, entre a saída de Rui Laranjeira e a tomada de posse do seu sucessor, será assegurado pelo 2.º comandante Carlos Carapinha.


JBP

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________