Sabemos de Onde Viemos, Será Que Sabemos para Onde Vamos? - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

segunda-feira, 29 de março de 2021

Sabemos de Onde Viemos, Será Que Sabemos para Onde Vamos?

 


Para já queria cumprimentar todos os meus amigos, pois tenho andado um pouco arredado, espero que todos vós estejais bem.


Hoje nas minhas andanças dei por mim, como é normal, a pensar em Bombeiros. (Que bichinho que não há forma de sair)


Nós emanamos da Sociedade Civil, porque essa mesma sociedade viu que o Estado que era suposto protege-la não o fazia e lá se organizou em Associações para formarem os seus CB. Isto foi mais ou menos assim.


Esta família nasceu, estruturou-se e começou a lutar, como todas as famílias. E assim nasceu, em 1979 o Serviço Nacional de Bombeiros, como um organismo dotado de personalidade jurídica de direito público, com autonomia administrativa e financeira e património próprio. Sim era mesmo assim – Autónomos.


Combatia-mos “fogos” Urbanos e Florestais, cortávamos arvores, desimpedíamos vias, enfim, dávamos resposta às necessidades das populações. Tanto assim era que o ido SNA (Serviço Nacional de Ambulâncias) que tinha sido criado em 1971, veio “alojar” as suas ambulâncias nos CB espalhados pelo País. 


E nós abraçamos a causa e outras que se seguiram, e a família começou a desestruturar-se, porque começaram a aparecer “membros da família” a serem muito mais ricos e a escravizar aqueles que iam ficando fieis à génese da Família.


O Estado aproveitou essas fragilidades e começou a dar golpadas nesta família que era próspera mas que dava sinal de se estar a desestruturar e foi criando organismos e foi pisando, sem que nunca a Família Mãe se queixasse.


Entretanto o SNA “crismou-se” e adotou o nome de INEM, apareceram os “Canarinhos”, saídos dos CB dos Bombeiros onde regressavam no Inverno, depois deram origem à FEB apareceram os GIPS, todos eles já “crismados” com outro nome e para a “coisa” não doer tanto, foi criado o SNBPC, depois ANPC e deram-nos um “cantinho” e por fim a ANEPC.


O problema disto tudo é que em 1979 o “nosso” SNB foi criado como (Um organismo dotado de personalidade jurídica de direito próprio, com autonomia administrativa e financeira e património próprio), coisas que todos os outros que foram criados têm e nós perdemos. E já não falo na AGIF e a espaços, mas com bons orçamentos no OT. Tudo gente rica que nasceu e se aproveitou e aproveita daqueles que sempre resolveram os problemas às populações.


Somos mesmo uma família desestruturada.


E porque é que eu hoje falo nisto?


Porque estamos em ano de Congresso Eletivo para a Liga de Bombeiros Portugueses e é preciso que se reúnam as tropas e se trabalhe para o bem desta Família que são os Bombeiros. Alguns dirão que já é tarde, eu não penso assim, é preciso é fazer valer e mostrar o nosso valor.


Diz o povo que quanto mais alguém se baixa mais se lhe vê o cú. Pois está na hora de levantar e endireitar a coluna para enfrentar os “monstros” que por alguma inércia e bondade, deixamos criar, mas acredito que também temos força para o derrubar e readquirir o que é nosso por direito.


Digo eu


Martins Andrade 

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________