Ex-comandante dos Bombeiros de Resende Suspeito de Abusos Sexuais Fica em Liberdade - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2021

Ex-comandante dos Bombeiros de Resende Suspeito de Abusos Sexuais Fica em Liberdade

 


Um ex-comandante dos Bombeiros de Resende é suspeito de ter abusado sexualmente de duas raparigas com deficiência. O homem, de 50 anos, foi indiciado por mais de 10 crimes de abuso sexual de pessoa incapaz de resistência pelo Ministério Público (MP) de Lamego.


Os crimes terão ocorrido numa escola onde o suspeito desempenhava as funções de auxiliar. As vítimas têm cerca de 18 anos, sendo que uma delas continua a frequentar a escola. A outra já não frequenta o estabelecimento de ensino, onde o ex-comandante começou a ganhar a confiança das vítimas há cerca de três anos.


Segundo avança esta quinta-feira (11 de fevereiro) o Jornal de Notícias, a situação chocou a população de Resende, onde o arguido era reconhecido pelas funções que desempenhou nos Bombeiros Voluntários.


O suspeito começou a abusar sexualmente da vítima mais velha no interior da escola, num local pouco frequentado pelos outros alunos e pelos professores. Depois de a aluna ter saído do estabelecimento, o ex-comandante passou a aproveitar-se dela em casa. A situação foi descoberta por uma familiar que denunciou o caso à GNR de Resende, que encaminhou-o ao MP de Lamego, que delegou a investigação à Polícia Judiciária (PJ) do Porto.


No caso da vítima mais nova, a suspeita foi lançada por uma professora que fez a denúncia à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em Risco e às autoridades. Os dois casos foram comunicados ao MP em meados de janeiro, tendo as autoridades respondido rapidamente às suspeitas devido ao perigo de continuidade do crime.


Depois de ter sido detido no início desta semana pela PJ, o homem foi libertado pelo Tribunal de Viseu, onde o juiz o proibiu de exercer funções na escola e de contactar com menores. O homem ficou ainda sujeito a apresentações periódicas às autoridades até ao julgamento.


Fonte: Jornal do Centro

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________