Afluência de Doentes "Foi Avassaladora", diz Infecciologista de Setúbal - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

terça-feira, 2 de fevereiro de 2021

Afluência de Doentes "Foi Avassaladora", diz Infecciologista de Setúbal

 


O diretor do Serviço de Infecciologia do Centro Hospitalar de Setúbal (CHS), José Poças, afirmou hoje que a afluência de doentes infetados com o vírus SARS-CoV-2 ao Hospital de São Bernardo foi "avassaladora" no mês de janeiro.


"Nós tratámos durante um mês [janeiro de 2021] muito mais doentes do que tratámos no resto do tempo, muito mais doentes em enfermaria, muito mais doentes em cuidados intensivos. E já vamos com 10 meses de epidemia" de covid-19, disse José Poças.


Segundo o responsável pelo Serviço de Infecciologia do CHS, que integra os hospitais de São Bernardo e do Outão, em janeiro foram assistidos 2.666 doentes, "metade dos quais com enorme gravidade clínica: amarelos, laranjas e vermelhos".


"Foi avassalador, está a ser avassalador", enfatizou o especialista em infecciologia, que falava sobre a procura e oferta de cuidados de saúde no CHSnum debate 'online' promovido pela Câmara de Setúbal.


José Poças alertou também para a prevalência no concelho de 'doentes covid', números que, com base em dados oficiais, disse serem muito superiores "à prevalência no resto da Península de Setúbal".


Segundo o clínico do CHS, "o que está estabelecido para a resposta a esta patologia não tem uma correspondência naquilo que é a distribuição dos recursos na região, ou seja, a taxa de esforço de Setúbal é efetivamente, quer em cuidados intensivos, quer nas enfermarias, muitíssimo superior".


"E, aquilo que os estudos matemáticos dizem é que, de facto, não vai haver uma descida próxima, mas uma tendência para a estabilização dos números de doentes que vão necessitar de ser internados. E ainda uma subida, durante os próximos tempos, dos doentes que vão precisar de cuidados intensivos", advertiu José Poças.


"A magnitude dos doentes ativos é esta: dos quase 10 mil doentes diagnosticados no concelho até agora, mais de 50% estão ativos. E isto é catastrófico, como é bom de ver", concluiu.


Fonte: Noticias ao Minuto

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________