Bombeiros do Porto Dizem que Custos com Equipamentos Põem em Causa Socorro - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

Bombeiros do Porto Dizem que Custos com Equipamentos Põem em Causa Socorro

 


Os bombeiros do distrito do Porto já canalizaram um milhão de euros para equipamentos de proteção e desinfeção de veículos, algo que competia ao Estado e que pode "comprometer" o socorro às populações.


Em comunicado, o presidente da Federação dos Bombeiros do distrito do Porto, José Morais, diz que a situação está "insustentável", depois de nos últimos cinco meses terem investido um milhão de euros na segurança dos operacionais.


A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) entregou equipamentos no valor de 254 mil euros aos bombeiros do Porto, tendo estes tido de comprar mais e canalizado para os mesmos 905 mil euros, ressalvou.


A estes 905 mil euros acresce 191 mil euros para a desinfeção de veículos, reforçou.


"Face à crescente solicitação de ações de socorro e perante o agravar da situação pandémica, os Bombeiros esperam da tutela o reforço das equipas nas suas unidades, através de instrumentos de requisição civil", afirmou.


José Morais apela ainda à ANEPC para o reforço de equipamentos de proteção e ao Governo para a necessidade de um apoio extraordinário às associações humanitárias.


A estes pedidos, o presidente acrescenta o processo de vacinação que espera que seja iniciado com urgência para mitigar o risco acrescido a que os bombeiros estão diariamente expostos.


"O Governo não está a tratar os Bombeiros à dimensão e grandeza do serviço que prestam, da responsabilidade e compromisso que têm no quotidiano da nossa sociedade", sublinhou.


O presidente da Federação vincou que, ao invés de outras entidades e instituições, os bombeiros continuam a prestar socorro sem que esteja iniciada a vacinação aos elementos que constituem os seus quadros ativos.


E, tal como numa guerra, os bombeiros estão "entre o inimigo e a primeira trincheira", acrescentou.


Fonte: JN

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________