Explosão Assustou Vizinhos de Fogo que Destruiu Fábrica na Póvoa de Varzim - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

Explosão Assustou Vizinhos de Fogo que Destruiu Fábrica na Póvoa de Varzim

 


Ficou completamente destruída a fábrica Aromations, em S. Pedro de Rates, Póvoa de Varzim, atingida por um fogo que causou alarme entre a vizinhança.


"Ouviu-se uma explosão muito grande! As labaredas que metiam medo!", contou, ao JN, um vizinho. Um incêndio que deflagrou na noite deste domingo deixou reduzida a escombros a fábrica da Aromations, em S. Pedro de Rates, Póvoa de Varzim. Mais de uma dezena de pessoas perderam o emprego. Quem mora ali, na Rua das Ribeiras, não ganhou para o susto. O dono do armazém escapou por sorte.


Eram 20.34 horas quando o alerta caiu no quartel dos Bombeiros da Póvoa de Varzim. Os proprietários da empresa de desinfetantes e produtos de limpeza foram alertados pelo alarme. Quando chegaram ao local, explicou o comandante da corporação, Francisco Nova, já as chamas iam altas e a fábrica estava "completamente tomada pelo fogo".


A destruição é tanta que é difícil localizar a fonte de ignição, mas, à entrada do armazém, os 45 mil frascos de álcool gel de uma encomenda pronta a seguir viagem foram o rastilho perfeito. A explosão de uma botija de gás propagou as chamadas. Não estava ninguém na fábrica, onde, com a pandemia à porta, trabalhavam, por estes dias, a todo o vapor, mais de uma dezena de pessoas.


Na moradia mesmo ao lado, o dono do armazém (alugado à Aromations há dois anos), dormia. Foram os bombeiros e o filho quem o foram chamar. Por sorte, a explosão não atingiu a casa.


"Podia ter morrido!", afirma o mesmo morador, que prefere não se identificar. Uns metros à frente, de um lado, há várias moradias em banda, do outro, uma serração: "Felizmente, o mato à volta estava limpo e chovia, senão tinha sido o fim do mundo".


No combate ao fogo, durante mais de cinco horas, estiveram 49 bombeiros dos Bombeiros da Póvoa e de Viatodos (Barcelos). Nesta segunda-feira, voltaram. Com tanto entulho acumulado, foi preciso garantir que não havia reacendimentos.


Fonte: JN

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________