Separação do grupo de bombeiros poderá ter estado na origem da morte de bombeiro na Lousã - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

domingo, 12 de julho de 2020

Separação do grupo de bombeiros poderá ter estado na origem da morte de bombeiro na Lousã


As circunstâncias da morte de um bombeiro no combate a um incêndio na Serra da Lousã, ontem à noite, ainda estão por apurar.

À Renascença, o tenente-coronel Sérgio Trindade, da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) aponta um momento-chave, que pode ter levado à morte deste bombeiro.

“Houve um momento em que a equipa se desfez e tiveram de ir novamente ao encontro destes elementos. Ele não ficou desaparecido, foi o momento, a situação que se desenvolveu, houve menor ligação entre quem estava no terreno”, revela o tenente-coronel.

No entanto, a Proteção Civil diz ainda estar a estudar as circunstâncias da morte deste bombeiro.

“O elemento que acabou por falecer fazia parte de uma equipa de cinco bombeiros, da equipa de Miranda do Corvo, que se viram envolvidos numa situação que ainda estamos a avaliar como foi”, afirma o responsável da ANPC àquela rádio.

O fogo estava numa zona de difícil acesso, junto a um parque eólico. O estado do tempo também não permitiu a utilização de meios aéreos.

“Houve uma inicial dificuldade no que toca a meios aéreos porque as condições atmosféricas não permitiam uma operação destes meios no local em força”, explica à Renascença Sérgio Trindade. Assim, a operação foi reforçada com “bastantes meios”.

“Chegamos a ter mais de 250 operacionais e 70 viaturas de várias corporações de bombeiros de vários distritos”.

O incêndio foi antecedido por uma trovoada seca, acompanhada por vento forte, que dificultou o trabalho de mais de 250 operacionais de diversas corporações dos distritos de Leiria e Coimbra.

Conhecido como “chefe José Augusto”, o bombeiro que morreu tinha 55 anos e era o chefe da equipa dos bombeiros Voluntários de Miranda do Corvo.

Há ainda três feridos a registar. Um deles está em estado grave e foi transportado para o hospital de Coimbra.

Os outros feridos são dois bombeiros da corporação municipal da Lousã, que receberam assistência hospitalar por inalação de fumos.

O Presidente da República lamentou, “com profunda consternação”, a morte de um bombeiro da corporação de Miranda do Corvo, no combate a um incêndio na Lousã.

Numa mensagem publicada no site da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa “lamenta, com profunda consternação, a morte de um bombeiro da corporação de Miranda do Corvo, que combatia, com a sua equipa, um incêndio na serra da Lousã”, distrito de Coimbra.

“Uma triste notícia e que representa uma perda profunda para quem tanto dá ao país”, lê-se na mensagem do Presidente, que já enviou as suas condolências à família e ao corpo de bombeiros de Miranda do Corvo.

O primeiro-ministro também já emitiu uma nota onde mostra “profundo pesar e consternação” que recebeu a notícia do “trágico falecimento do bombeiro voluntário José Augusto Dias”.

“À família e amigos do chefe José Augusto Dias e à corporação de bombeiros de Miranda do Corvo, apresento em meu nome e de todo o governo os sentidos pêsames.”, refere António Costa.

“Um abraço sentido a todos os que com o seu esforço e dedicação, todos os dias trabalham no combate às chamas, na defesa da floresta, das populações e de Portugal.”, acrescentou.

Fonte: Centro TV

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________