Fogo Consumiu Fábrica Têxtil em Santo Tirso Durante a Madrugada - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

terça-feira, 23 de junho de 2020

Fogo Consumiu Fábrica Têxtil em Santo Tirso Durante a Madrugada


Um incêndio deflagrou por volta das 20 horas de segunda-feira numa fábrica têxtil do concelho de Santo Tirso. Foi dominado já quase de manhã, quando já tinha destruído, pelo menos, 50% da fábrica.

Várias corporações do distrito do Porto estiveram, durante a noite e madrugada, empenhados no combate às chamas que consumiram uma parte substancial da indústria têxtil Ada Fios. O incêndio só foi dominado cerca das 5.20 horas, sendo que o rescaldo "deverá levar toda a manhã", já que implica "a remoção de toda a matéria-prima" do interior da fábrica, disse fonte dos Bombeiros Voluntários de Santo Tirso à agência Lusa.

O combate ao fogo, que à 1 hora tinha destruído cerca de 50% da fábrica e um armazém de algodão, demorou várias horas, não sendo ainda possível apurar a causa ou avaliar a extensão dos danos. "Ainda não temos noção da percentagem atingida. Neste momento estamos em condições de colocar equipas de resgate [dentro do edifício], para tentar perceber a extensão dos danos", explicou o comandante da corporação, Filipe Carneiro.

Segundo o que o JN conseguiu apurar, a partir de fontes no terreno, o incêndio chegou a estar descontrolado. Dois bombeiros foram levados para o hospital e outro foi assistido no local, devido a choque de calor e inalação de fumo. Um dos problemas com que o bombeiros se depararam neste incêndio foi a elevada carga térmica, devido ao material no interior. No exterior, a PSP cortou os acesso ao local, devido ao fumo e a alguns rebentamentos.

A unidade industrial de Santa Cristina do Couto, em Santo Tirso, produz tecido de gazes hospitalares, ligaduras e produtos de incontinência, que exporta para toda a Europa. Emprega cerca de 300 trabalhadores e foi alvo de modernização recente, com os fundos do Portugal 2020. Albino Dias de Andrade SA é a empresa-mãe do grupo que diz ser o único fabricante europeu de gaze hidrófila, na Ada Fios, além de produzir e vender máquinas destinadas à indústria de alta tecnologia, na unidade Ada Tec.

O vereador da Proteção Civil da Câmara Municipal de Santo Tirso, José Pedro Machado, disse que as pessoas que estavam a trabalhar quando o incêndio deflagrou saíram em segurança. José Pedro Machado referiu ainda que a Autarquia, "na medida das possibilidades, irá apoiar esta empresa".

No local chegaram a estar 115 operacionais, entre bombeiros de várias corporações, PSP, INEM, Polícia Judiciária, Polícia Municipal e o Serviço Municipal da Proteção Civil da Câmara Municipal de Santo Tirso, apoiados por 35 veículos.

Fonte: JN

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________