Os da "Linha da Frente" tem Amigos, tem Amores, tem Família, tem Sentimentos - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

sexta-feira, 1 de maio de 2020

Os da "Linha da Frente" tem Amigos, tem Amores, tem Família, tem Sentimentos


Faz mais de um mês que estou numa "nova casa" com uma "nova família", na mala trouxe pouca roupa e uma série de recordações daqueles que deixei para trás, quando regressar seja  isso quando for, a bagagem será outra, será uma mala cheia de saudades pronta a ser despejada.

Sabem a saudade? Ela tem rosto  tem cheiro tem nome, é uma ausência que incomoda, que prova que o amor existe, é sentimento que muitos de nós já conhecíamos na linha da frente, mas não de forma tão dura e crua, sentimento esse que alguns de vocês estão a ter agora a oportunidade de conhecer.

Ser linha da frente seja bombeiro, médico, enfermeiro ou profissional  de INEM, auxiliar, radiologista ou qualquer outra área profissional é colocar uma armadura diária por debaixo de todo o EPI que vestimos, uma armadura que quando sai à noite, nos dá uma dor maior que a de qualquer máscara no rosto por turnos de 10 a 12 horas, é a dor e a pressão de fazer o nosso melhor e gerir um tumulto de sentimentos que nos invade e consome, que nos lembra o melhor da vida "os nossos" sejam eles pais filhos avós ou amigos, os nossos são aquele aconchego que nenhum quarto de hotel, ou aplausos nas janelas nos consegue dar.

As pessoas que vos tratam que vos alertam, que vos recebem no hospital  têm família, são família, têm mães que sofrem de saudade, pais que anseiam um braço apertado do filho, maridos que se deitam sozinhos, filhos que se perguntam quando será o próximo jantar com a mesa cheia, se os que ficam choram e anseiam ao mesmo tempo que tentam gerir a revolta que se tem ao ver as lamurias e os queixumes de quem diz que já não aguenta estar em casa, enquanto estes só gostavam de ter os seus em casa seguros  e no aconchego da família.

E nós na linha da frente sentimos a pressão da tomada de decisão que nos fez abandonar os nossos, tentamos protegê-los mas isso não diminui a dor que eles sentem e nós carregamos a culpa dessa dor ao mesmo tempo que sabemos que no fundo foi a decisão certa.

Somos linha da frente, somos filhos somos pais, somos netos, irmãos, e somos amigos, não somos heróis nem pretendemos sê-lo, não queremos aplausos nem prioridade no supermercado, queremos voltar a casa, queremos matar a saudade antes que ela nos mate a nós, queremos  largar de vez esta armadura e reunir a família à volta da mesa, queremos largar este peso que alguns de nós já carregam à 2 meses, queremos deixar cair lágrimas que tanto prendemos, queremos abraços apertados, queremos deixar as videochamadas, queremos acabar os sorrisos forçados para quem nos liga a saber notícias não sofra o dobro, queremos parar de fugir de chamadas por termos receio de não controlar a vontade que temos de desatar a chorar e  pedir como que se voltássemos a ser crianças.

Já viram? São duas missões, a de vos salvar e a de manter os nossos bem com a nossa ausência, imaginem o peso, carregamos o mundo nos ombros e ainda sorrimos dando o nosso melhor. 

Somos linha da frente independentemente da farda que vestimos, e penso que falo por todos  que somos linha frente com tanto orgulho como saudade. 

Somos linha da frente, nos últimos meses tal como temos sido sempre e como iremos continuar a ser no fim disto tudo, seja por uma pandemia seja por outra coisa qualquer. 

Somos a linha que nunca vos abandona, somos os que deixam os seus para cuidar de ti e dos teus, só que agora é mais notório, só agora somos realmente vistos, notados, mas sempre cá andamos, mais do que linha da frente, somos a vossa "Única" linha, seja agora seja em época de gripe" normais " seja em fogos  somos a vossa linha, somos o orgulho  dos nossos e o teu esquecimento é dos teus quando a tempestade passa e a bonança chega. 

Somos a linha da frente e cada farda vestida com orgulho, seja de forma profissional ou voluntária, tenhamos aplausos ou donativos, somos e seremos sempre por vocês  a vossa linha sempre que necessário.

Somos linha da frente e queremos que isto passe mas não aceitamos um "vai ficar tudo bem" porque no fundo não fica tudo bem, existem vidas que forma ceifadas, famílias que não puderam fazer o devido luto dos seus, e existimos nós na linha da frente, que vamos sair disto desfeitos porque somos humanos, mas sairemos de cabeça erguida e orgulhosos dos nossos que sustentaram a nossa ausência, orgulhosos dos nossos por terem estado na luta connosco. 

Acima de tudo sairemos disto com a esperança que tu e os teus no fim se lembrem de nós, não para aplausos, mas para a próxima vez que nos virem reivindicar por melhores condições seja qual for a nossa farda não nos censures, junta te a nós, a nossa a luta será sempre também a tua porque é a ti e aos teus que servimos, lembra-te que se agora estamos aqui por ti, pelos teus, no futuro fica do meu lado, por mim, pela minha farda e pelos meus, esta será a melhor forma que tu terás para nos agradecer, a nós, aos da linha que está na tua frente 365 dias por ano 24h por dia.

Ariana Ribeiro

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________