Grande Incêndio Consumiu Fábrica de Painéis Solares Energie - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Grande Incêndio Consumiu Fábrica de Painéis Solares Energie


Um terço de unidade fabril de Laundos ficou destruído e terá que sofrer demolição, dizem os bombeiros. Danos são muito avultados.

Um violento incêndio destruiu esta quarta-feira à noite um terço da Energie, na Zona Industrial de Laundos, na Póvoa de Varzim. As chamas na fábrica de painéis solares termodinâmicos chegaram a assustar o centro logístico da Mercadona, localizado do outro lado da rua.

"Quando cheguei ao local, esta zona da frente da fábrica estava totalmente tomada pelas chamas. Já era impossível aceder ao interior. Um terço da fábrica está totalmente destruída", explicou o comandante dos Bombeiros Voluntários da Póvoa de Varzim, Francisco Nova. Os danos são "muito avultados", disse ainda o comandante, e, muito provavelmente, "obrigarão à demolição de parte do edifício".

A empresa emprega 40 pessoas e, em 2019, produziu três mil painéis solares.

No rés-do-chão, na zona de laboração - onde começou o fogo -, máquinas, paletes de material, plásticos e papelão facilitaram a propagação das chamas. No 1.º andar, "o piso do auditório cedeu com as altas temperaturas".

O alerta caiu no quartel dos bombeiros da Póvoa às 20.45 horas. Foi o próprio dono da unidade quem chamou o socorro. O alarme soou-lhe no telemóvel e, consultadas as câmaras de videovigilância por acesso remoto viu, de imediato, um clarão suspeito. A unidade estava fechada desde as 19 horas, como era habitual.

Há um mês, a Energie lançou a primeira pedra da ampliação das suas instalações, onde está a investir um milhão de euros. O novo espaço, contíguo à atual unidade, iria permitir aumentar a produção em 20% e ficaria pronto no segundo trimestre deste ano.

No local estiveram, além dos bombeiros da Póvoa, as corporações de Vila do Conde, Trofa, Moreira da Maia e Barcelinhos, num total de 67 homens e 22 viaturas.

Fonte: JN

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

_______________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________