Secretária de Estado promete «solução sustentada» para o setor dos bombeiros - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

Secretária de Estado promete «solução sustentada» para o setor dos bombeiros


Patrícia Gaspar respondeu aos vários pedidos deixados por Bruno Alves, da Liga dos Bombeiros Portugueses, aquando da sua intervenção na cerimónia comemorativa do 137.º aniversário dos Bombeiros Voluntários de Barcelos.

A Secretária de Estado da Administração Interna deixou hoje, em Barcelos, o compromisso de «tudo» fazer para «fazer chegar a bom porto» as várias reivindicações daquela corporação de bombeiros, partilhada por todas a nível nacional e transmitidas por Bruno Alves, Secretário do Conselho Executivo da Liga de Bombeiros Portugueses. Pediu, contudo, algum tempo, já que se pretendem «soluções sustentadas» e não «extemporâneas».

Patrícia Gaspar respondia, assim, aos vários pedidos deixados por Bruno Alves aquando da sua intervenção na cerimónia comemorativa do 137.º aniversário dos Bombeiros Voluntários de Barcelos (BVB), um deles relacionado com a lei de financiamento que terá ficado aquém do esperado e necessário.

«Solicitamos um aumento de quatro milhões de euros para a nossa lei de financiamento -não porque queremos, mas porque merecemos – mas só obtivemos um aumento de um milhão e 100 mil. Temos de estar tristes», disse Bruno Alves, pedindo a Patrícia Gaspar que «faça algo» antes que seja aprovado o Orçamento de Estado para que «haja condições» para os operacionais. «Somos mais de 400 associações e 24 milhões de euros não chegam para nada», lamentou o responsável.

A par da lei de financiamento, o representante da Liga dos Bombeiros Portugueses pediu atenção para o fundo de proteção social, que não teve qualquer aumento, não permitindo fazer face às necessidades, bem como para o incentivo ao voluntariado, de modo a não só captar novos elementos como a criar condições para que eles permaneçam nas corporações de bombeiros. «Caso contrário não sei como vai ser o socorro do país», disse, pedindo «novos modelos de financiamento» também aqui na vertente do incentivo ao voluntariado.

Outros dos pedidos deixados por Bruno Alves passam por uma análise ao programa da Agência para a Gestão Integrada de Fogos Rurais (AGIF) 2020/2030, que considera não estar adequado às necessidades, bem como uma revisão do Sistema de Gestão de Operações (SGO).

Fonte: Diário do Minho

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________