Mário Caiu em Falésia e Cadela Sacha Ajudou a Salvá-lo - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

sábado, 4 de janeiro de 2020

Mário Caiu em Falésia e Cadela Sacha Ajudou a Salvá-lo


"Pessoal façam um favor que eu aqui não tenho muita rede. Liguem ao 112". Mário Batista, 48 anos, avisou assim, às 13h53 de quinta-feira, nas redes sociais, que tinha caído numa ravina em Sesimbra, com a sua cadela Sacha. Um dia após o aniversário, o amante de caminhadas ficou na escarpa de 250 metros, em risco de queda fatal ao mar, numa área de resgate apenas possível por héli. Eram 17h10, já no ocaso, quando foram retirados - após Sacha lhe alcançar água e mantido quente, salvando-o.

Foi por mensagens e redes sociais que deu indicações ao socorro e recebeu apoio. Após a 1ª foto das 13h53, seguiu-se outra às 14h35, com a cadela deitada sobre o seu peito. Às 14h57 contou: "Pessoal, eu vou pondo fotos para não perder os sentidos". Descrevia que estava com "pouca bateria", que Sacha estava "bem" e ele bem-disposto.

Mário relatou esta sexta-feira que ficou com um pulso partido, traumatismo craniano e não consegue abrir o olho direito. Dois dedos "em mau estado mas não partidos". "Gostaria de poder abraçar cada um de vocês", porque foram as mensagens e telefonemas a manterem-no acordado.

Ficou "a 2 metros de cair noutra falésia" e a mochila, com o saco de água, longe e ainda mais perto da queda até ao mar. "A sede aumentava e arrisquei que [Sacha] fosse buscar a mochila. Ela conseguiu". "Ela pôs a cabeça em cima de mim para me aquecer. Tivemos sempre abraçados até chegar o héli". Foram os dois içados, no mesmo cesto, para o helicóptero EH-101 da Força Aérea.

Primeiro canídeo resgatado pela FAP

Foi o primeiro cão resgatado pela esquadra 751 e seguiu o dono depois na ambulância. A Força Aérea conta que a zona, o cabo de Ares, é de pouca visibilidade e difícil acesso. Sacha foi salva apesar do héli "não possuir o equipamento específico".

Fonte: Correio da Manhã

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

_______________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________