MAI admite dívida aos bombeiros - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

MAI admite dívida aos bombeiros


O Ministério da Administração Interna (MAI) admitiu ao CM dever cerca de 200 mil euros aos grupos de reforço de bombeiros, que foram deslocados para os vários comandos distritais de Proteção Civil durante o mês de outubro.

Em resposta a questões do CM, o gabinete de Eduardo Cabrita negou uma acusação da Associação Portuguesa de Bombeiros Voluntários, que alegou que estavam por pagar os encargos financeiros relativos aos bombeiros mobilizados para o dispositivo terrestre de combate a fogos florestais, e ainda aos operadores de telecomunicações colocados nos comandos distritais, durante o mesmo mês. Fonte oficial do MAI explicou que "todos os encargos já foram regularizados, num pagamento estimado em 3 445 000 euros".

Por pagar, admite o gabinete do ministro da Administração Interna, estão as retribuições devidas aos grupos de reforço. Trata-se de bombeiros vindos de diversas corporações que, segundo a diretiva de combate a fogos para o corrente ano, são distribuídas pelo País, consoante o grau de ameaça de fogos, e que trabalham em complemento aos bombeiros das várias corporações. A mesma fonte espera que o pagamento seja regularizado em breve.

Recorde-se que a Liga dos Bombeiros denunciou, em outubro, que a Proteção Civil não regularizara o pagamento aos bombeiros empenhados no dispositivo de combate em setembro. A verba (50 euros por 24 horas de trabalho), viria a ser saldada só no último dia de outubro.

Fonte: Correio da Manhã 

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

_______________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________