Esquentador a Gás Mata Casal e Menino de 10 Anos - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quarta-feira, 23 de outubro de 2019

Esquentador a Gás Mata Casal e Menino de 10 Anos


Carlos Querido, 50 anos, estava esta terça-feira devastado e inconsolável. Foi ele quem arrombou a porta da casa e encontrou mortos o filho Ricardo Querido, de 10 anos, e a ex-mulher, Catarina Ribeiro, de 34, na aldeia de Joanes, no Fundão. No interior da habitação estava também morto Rui Costa, de 28 anos, namorado de Catarina.

Os três morreram intoxicados por monóxido de carbono por causa de um esquentador a gás, instalado na cozinha, que não estava a funcionar corretamente.

"O casal estava caído na casa de banho. Catarina estava debruçada na sanita como se estivesse a vomitar. Rui estava deitado no chão. A criança estava deitada na cama do quarto, também com indícios de ter vomitado", adiantou ao CM João Sousa, comandante dos Bombeiros Voluntários do Fundão.

A tragédia ocorreu durante a noite de segunda para terça-feira, mas o alerta só foi dado a meio da manhã de terça-feira, pelas 10h45, por Carlos Querido, pedreiro de profissão. Foi levar uns livros do garoto à escola e informaram-no que o menino não tinha ido às aulas.

Estranhou e ligou para o Ricardo e para a Catarina, mas ninguém atendeu. Foi ao apartamento e, como ninguém respondia à campainha voltou a ligar para o telemóvel do filho e da ex-companheira. Do exterior ouviu os telefones a tocar e foi aí que percebeu que algo de muito grave se passava", contou esta terça-feira uma amiga do ex-casal. De seguida arrombou a porta e encontrou os corpos.

Aldeia está em choque com acidente mortal
Catarina Ribeiro e Carlos Querido terminaram há pouco mais de seis meses uma relação de mais de dez anos. Segundo amigos, "apesar do final do relacionamento, e porque tinham um filho em comum, davam-se bem e não tinham problemas". Pouco tempo depois, Catarina iniciou o relacionamento com Rui Costa. Os dois mudaram-se há poucas semanas para a habitação onde na noite de segunda para terça-feira ocorreu a tragédia.

"Aqui ninguém teve oportunidade de os conhecer. Mas nem por isso deixamos de lamentar, porque se trata de uma criança e de um casal ainda muito novo", afirma Malícia Trindade, presidente da junta local. "Toda a freguesia está profundamente transtornada com esta desgraça", adianta. A GNR foi ao local, mas a investigação passou para a alçada da PJ da Guarda que "não encontrou indícios de crime".

Escola com apoio psicológico para colegas de turma
A morte de Ricardo Querido deixou de luto a Escola da Gardunha, no Fundão. Fonte do estabelecimento afirmou que "os professores, os funcionários e, sobretudo, os alunos ficaram em choque".

O CM sabe que alguns pais já se estão a mobilizar para homenagearem o menino. O agrupamento também terá disponibilizado apoio psicológico para os colegas de turma que ficaram mais afetados.

Sem sinais de violência
O comandante dos bombeiros diz que o cenário encontrado não apresentava sinais de violência: "Pela forma como os corpos estavam, percebemos tratar-se de intoxicação."

Catarina trabalhava na Misericórdia
Rui Costa trabalhava como instalador e soldador de redes de gás natural. Catarina Ribeiro era funcionária da Santa Casa da Misericórdia do Fundão.

Fonte: Correio da Manhã

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________