Duarte Costa: O Que o Diferencia de Todos os Outros - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

sexta-feira, 26 de julho de 2019

Duarte Costa: O Que o Diferencia de Todos os Outros


Duarte Costa, Comandante Operacional da Autoridade Nacional de Protecção Civil (CONAC). 

Fonte próxima descreve-o como um homem "que não tem medo de decidir mas que ouve primeiro" e destaca o seu currículo "muito ecléctico", que conta com várias missões internacionais, como no Afeganistão, e o curso de paraquedista (foi Comandante da Escola de Tropas Paraquedistas e cumpriu o curso de Ranger e Airborne do exército norte-americano). 

José Manuel Duarte da Costa é o substituto do coronel António Paixão, que saiu por motivos pessoais. Nos últimos três anos, foi Chefe do Estado-Maior do Comando das Forças Terrestres, o que lhe conferiu preciosa experiência para lidar com as operações de combate aos incêndios. 

"É um militar de carreira com conhecimento do espaço onde trabalha"

No comunicado em que anunciou a escolha, o Governo sublinhou que Costa planeou "acções de emprego dos meios e capacidades do Exército no combate aos incêndios em apoio à ANPC". "Sabe bem aproximar-se da Protecção Civil", diz um amigo. 

"É excelente a fazer negociação e a falar com as pessoas. Sabe ouvir, discutir e encontrar consensos. É profundamente humano e um óptimo comunicador. Além de ser muito camarada e amigo", define fonte próxima de Duarte Costa. 

Duarte Costa foi ainda adjunto de Jorge Sampaio quando este era Presidente da República, entre 1996 e 1998. 

Antes, esteve no Regimento de Comandos, em que foi instrutor. Dá conferências e tem obra publicada sobre terrorismo, estratégia e ciência política. "Além dos cursos militares, a parte académica é muito relevante", destaca fonte próxima. Duarte Costa tem um MBA da Universidade Católica. 

Entre os bombeiros, Duarte Costa foi bem recebido. "Gostaríamos que o CONAC fosse um de nós, bombeiros, mas entendemos que o coronel Duarte Costa é uma pessoa com elevada competência para o cargo".

Fontes do Exército reconhecem-lhe capacidades de “liderança”, de “estratégia” e de “planeamento” e descrevem-no como um líder “duro”, ainda que “dialogante”. 

Depois da passagem por Belém, viveu em Florença, Itália, onde foi chefe de Intelligence da EUROFOR. Pelo meio, participou em missões militares no Afeganistão e na Macedónia e tornou-se comentador televisivo de Estratégia e Assuntos Internacionais.

Passou a adotar um perfil mais discreto quando se tornou comandante da Escola de Pára-quedistas, em Tancos, lugar de onde saiu para comandar o Corpo de Alunos da Academia Militar. Mais recentemente, tinha sido escolhido para Chefe do Estado Maior do Comando das Forças Terrestres, tendo a seu cargo a organização e o planeamento operacional das Forças Armadas. Um “know-how” que, segundo uma nota enviada aos jornais pelo governo, poderá agora ser útil na ANPC.

Recentemente Duarte Costa deu mais uma prova cabal que é um Comandante diferente dos outros, ao publicar o seguinte texto na sua página pessoal do facebook:

Para todos os BOMBEIROS

Estas são apenas mais umas de entre tantas fotos que expressam o desigual, mas nunca evitado combate levado a cabo por estes heróis, bombeiros, contra este incêndio que deflagrou de forma tão simultânea, violenta e sincronizada, como evidente contraponto a uma qualquer eventualidade probabilística da natureza.

Todos sabemos que todos os agentes são essenciais para o combate aos incêndios, mas nesses agentes hoje quero destacar aqueles que combatem diretamente as chamas. Sim quero destacar os BOMBEIROS. Mas os Bombeiros todos, independentemente da origem ou função. Sim os Bombeiros, que são a mais formidável força que existe para fornecer segurança a todos os portugueses nas situações de emergência. E muitas vezes refiro que não interessa a cor do uniforme, pois o sangue é o mesmo e a vontade de cumprir, essa é que é a condição essencial para se fazer parte deste imenso e relevante Exército da Paz.

Neste ultimo evento em Vila de Rei – Mação, presenciei localmente, quando se iniciou a ocorrência, durante e quando a mesma terminou, no Teatro de Operações, o esforço abnegado, o espírito de sacrifício, a coragem física, a determinação e a vontade de que, por muito grande que fosse o desafio, nunca seria suficientemente grande para se lhe virar as costas.

E estes homens e mulheres não viraram as costas a nada, fossem Bombeiros Voluntários, GIPS ou Força Especial de Proteção Civil. Qual força conjunta, corpo único, coordenado e integrado, coeso e empenhado agiram sempre, TODOS, de forma profissional, coerente, abnegada e sobretudo, com o seu desempenho, salvaram a vida de portugueses…

Haverá sempre desconhecimento, gente que não concorda, revoltados e invejosos. Mas nos Bombeiros o que eu vejo sempre é uma vontade de cumprir com profissionalismo, disciplina e na enormíssima maioria dos casos, um espírito de sacrifício e desapego que roça a intrepidez.

Sim, o Comandante Nacional admira e tem uma imensa honra nos “seus” heróis. Porque vendo-os atuar e tendo estado no meio deles neste incêndio de Vila de Rei - Mação, permitem-lhe roubar e usar uma frase do Marechal Montegomery e dizer-lhes também “What Manner Of Men Are These?… They are in fact - men apart - every man an emperor”

(Para partilhar à vontade para que ninguém duvide de como respeito estes Soldados da Paz)

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________________

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________

________________________________________________________________