Perito Nomeado pela AR para os Fogos Acusa Governo de “Autismo” - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Perito Nomeado pela AR para os Fogos Acusa Governo de “Autismo”


Francisco Castro Rego, que preside ao Observatório Técnico Independente para os incêndios, diz que há um “sentimento geral de frustração” entre os especialistas que fazem parte deste organismo e que a recente aprovação dos Planos Regionais de Ordenamento Florestal é “uma oportunidade perdida”.

Dois meses depois de ter alertado o Governo para o caminho que o Ministério da Agricultura estava a seguir ao aceitar Planos Regionais de Ordenamento Florestal (PROF) que “parecem ignorar as lições dos incêndios florestais ocorridos em 2017”, o Observatório Técnico Independente (OTI) volta a criticar a atuação do Executivo. Numa nota informativa entregue a 18 de fevereiro na Assembleia da República, o Observatório condena a recente aprovação dos PROF. No entender deste órgão consultivo — criado pela AR para avaliar as medidas adotadas para a gestão de incêndios em Portugal — está-se perante “uma oportunidade perdida”, já que os planos aprovados “negligenciam a oportunidade de redefinir a floresta” para que esta seja mais resiliente aos incêndios.

“Quando fizemos os alertas em dezembro, achámos que havia espaço para corrigirem o que estava mal, mas isso não aconteceu”, lamenta o presidente do Observatório. Francisco Castro Rego acusa o Governo de “autismo” e condena o “acentuar de desequilíbrios” na floresta portuguesa. Este especialista em floresta e ecologia do fogo lembra que as recomendações feitas vêm no seguimento das que já tinham sido assinaladas para o ordenamento florestal pela Comissão Técnica Independente, de que também fez parte. “Há um sentimento geral de frustração” entre os especialistas, confessa Castro Rego. E lastima esta situação, que considera “preocupante” e que, em seu entender, dá ao OTI “uma sensação de inutilidade”.

Fonte: Expresso

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________________

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________

________________________________________________________________