Câmara participa em simulacro com bombeiros de Ponta Delgada e do continente - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Câmara participa em simulacro com bombeiros de Ponta Delgada e do continente


A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada, em parceria com a Câmara Municipal e com a Azores Park, levou a cabo, no passado sábado, o simulacro de um sismo que contou com a participação de duas corporações do continente. 

Na ocasião, o presidente da Câmara Municipal, José Manuel Bolieiro, salientou a importância deste tipo de iniciativas, que contribuem para o “treino e verificação de boas práticas e metodologias” e promovem o “convívio e a relação, bem como a partilha de conhecimento entre pessoas e instituições”, disse citado em nota de imprensa.

O edil congratulou-se com “a iniciativa e o bom acolhimento” promovido e assegurado pela Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada, que está a comemorar o seu 140.º aniversário.

O simulacro do sismo decorreu num terreno da Azores Park, um teatro de operações que, pelas condições pré-existentes, o presidente considerou apropriado para este tipo de iniciativas e compatível com a exigência dos exercícios.

Acompanhado pela Proteção Civil Municipal, o simulacro, que teve nota positiva das entidades participantes, envolveu as corporações de Carcavelos e São Domingos de Rana e Mistos de Amora. Os bombeiros de Ponta Delgada fizeram-se representar pela área de BREC – Busca e Resgate em Edifícios Colapsados.

Foram criados quatro cenários, originados por um sismo: despiste de uma viatura que seguia numa ponte e caiu numa vala em que os bombeiros tiveram de proceder ao desencarceramento e estabilização da viatura; casa, com abatimento de pisos, em que bombeiros tiveram, sem visibilidade, dado ao fumo, de atravessar um labirinto; resgate de uma pessoa, que se encontrava numa cave, em que também há colapso de estruturas; e resgate de uma pessoa que se encontrava numa fossa.

Fonte: Açoriano Oriental

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

_______________________________________________________________

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________

________________________________________________________________