O Mapa dos Concelhos que Podem Arder este Ano - VIDA DE BOMBEIRO

_______________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

terça-feira, 22 de maio de 2018

O Mapa dos Concelhos que Podem Arder este Ano


A equipa de investigadores do Instituto Superior de Agronomia e da Universidade de Lisboa criou um mapa para as zonas onde se podem gerar grandes incêndios. Veja quais os 20 concelhos de maior risco.

Quais são as zonas do país onde há maior risco de grandes incêndios no verão que se aproxima? Foi para responder a esta questão que a Estrutura de Missão para os Fogos Rurais pediu à equipa do Centro de Estudos Florestais (CEF), do Instituto Superior de Agronomia (ISA), que fosse feito um mapa de risco, numa tentativa de pegar no conhecimento científico existente nesta área e aplicá-lo na atuação das equipas de prevenção e combate a incêndios.

O mapa produzido indica a probabilidade de arderem mais de 250 hectares, por cada área de 400 hectares onde se verifiquem condições favoráveis aos incêndios. No top 20 dos concelhos (e respetivo distrito) com maior risco estão:

Monchique (Faro)
Oleiros (Castelo Branco)
Caminha (Viana de Castelo)
Vila Nova de Cerveira (Viana do Castelo)
Vila Nova de Paiva (Viseu)
Aljezur (Faro)
Vila de Rei (Castelo Branco)
Covilhã (Castelo Branco)
Proença-a-Nova (Castelo Branco)
Moimenta da Beira (Viseu)
Viana do Castelo (Viana do Castelo)
Vila Pouca de Aguiar (Vila Real)
Baião (Porto)
Celorico da Beira (Guarda)
Gavião (Portalegre)
Sardoal (Santarém)
Sertã (Castelo Branco)
Chamusca (Santarém)
Portimão (Faro)
Ponte da Barca (Viana do Castelo)

“Estamos atentos ao que é produzido e integramos”, disse ao Observador Tiago Oliveira, presidente da Estrutura de Missão para a Instalação do Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais. Para o engenheiro florestal este é apenas mais um documento técnico. Integrar o conhecimento científico nas tomadas de decisão “é o que se deve fazer”.

O mapa agora produzido em conjunto pelo CEF, Centro de Estatística e Aplicações da Universidade de Lisboa (CEAUL) e Instituto Dom Luiz (IDL), também da Universidade de Lisboa, já “está a entrar na análise dos cenários deste ano”, confirmou Tiago Oliveira. Não é que as equipas de prevenção e intervenção não tivessem já ideia de onde deviam focar os esforços, mas este trabalho “dá mais evidência aquilo que já se intui”, disse o presidente da estrutura de missão.

Fonte: observador

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________