Governo garante que grupo de ataque aos fogos da GNR vai ter equipamento a tempo - VIDA DE BOMBEIRO

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Governo garante que grupo de ataque aos fogos da GNR vai ter equipamento a tempo


O jornal Público avança esta quarta-feira que o Grupo de Intervenção Proteção e Socorro da GNR (GIPS) não tem equipamentos para cumprir a missão. O Ministério da Administração Interna assegura que tudo vai estar pronto a 15 de maio.

O Governo garante que na próxima semana os novos elementos do Grupo de Intervenção Proteção e Socorro (GIPS) vai ter material para combater os incêndios.

O jornal Público revela esta quarta-feira uma mensagem interna de correio eletrónico do comandante do GIPS, Major Cura Marques, em que este denuncia que atualmente falta quase tudo aos novos elementos do GIPS, incluindo o equipamento de proteção individual.

O Major Cura Marques considera que só em julho esta força especializada no combate inicial a incêndios terá todas as condições para cumprir a missão que lhes é confiada.

Em resposta enviada à TSF, o gabinete do ministro da Administração Interna garante que quando estes novos elementos terminarem a formação tudo estará pronto.

"Após a conclusão da formação, os novos elementos do GIPS serão dotados dos Equipamentos de Proteção Individual necessários ao cumprimento da missão. Tudo está a ser feito para o garantir", garante o ministério.

Nesta altura, 408 militares estão a receber formação para integrar GIPS, reforçando esta força especial em quase o dobro. A formação termina a 15 de maio.

No documento interno a que o jornal Público teve acesso, o Major Cura Marques queixa-se também da falta de viaturas de transporte e combate a incêndios. Existem 77, o primeiro-ministro já anunciou um reforço mas os dois contratos para aquisição de mais 96 viaturas aguardam ainda pelo visto do Tribunal de Contas.

O Governo assegura que, neste momento, há meios suficientes para começar a combater os incêndios. "As viaturas atualmente existentes permitem o início da missão. O dispositivo será progressivamente reforçado, com entregas periódicas pelos fornecedores de novas viaturas, destinadas ao ataque inicial e ao ataque ampliado e contratadas a 9 de abril".

TSF

Sem comentários:

Enviar um comentário