Resposta a Posição da Ordem dos Enfermeiros em relação a formação TEPH - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

terça-feira, 10 de abril de 2018

Resposta a Posição da Ordem dos Enfermeiros em relação a formação TEPH


No seguimento da posição da Ordem dos Enfermeiros em relação a formação dos Técnicos de Emergência Médica Pré-Hospitalar, vem a ANTEPH – Associação Nacional dos Técnicos de Emergência Pré-hospitalar tomar a seguinte posição:

1.       A ANTEPH lamenta a postura egocêntrica e desproporcional da Ordem dos Enfermeiros sobre uma temática que não lhes diz respeito, uma vez que os Técnicos de Emergência Médica Pré-Hospitalar exercem a sua atividade sobre a orientação e delegação médica, bem como os modelos agora em discussão já obtiveram a validação quer do INEM, entidade legalmente competente para a sua aprovação e da respetiva Ordem dos Médicos, em conformidade com que se encontra regulamentado para a carreira TEPH.

2.       O número de horas formativas e as competências definidas, estão em conformidade com os padrões internacionais para esta atividade, pelo que a intervenção da Ordem dos Enfermeiros demonstra um profundo desconhecimento do que é a formação de técnicos de emergência médica na generalidade dos países europeus;

3.       A ANTEPH, lamenta a posição que a Ordem dos Enfermeiros, que somente podemos classificar de caluniosa, bem como tenta desta forma criar um clima de desconfiança em relação a estes profissionais junto da opinião publica, situação que é inaceitável;

4.        A ANTEPH não reconhece a Ordem dos Enfermeiros qualquer competência para se pronunciar em relação a formação dos Técnicos de Emergência Médica Pré-Hospitalar, quer seja a atual ou modelos futuros, uma vez que a única competência da Ordem é pronunciar-se sobre a atividade da enfermagem e não dos outros profissionais do setor da saúde.

5.       A ANTEPH recorda que o sistema de Emergência Médica existe a mais de 50 anos sendo suportado por técnicos de emergência médica, garantindo mais de 1.000.000 de saídas, realizadas por mais de 10.000 profissionais, ao contrario da intervenção da enfermagem neste setor que é residual.

6.       A ANTEPH desafia a Ordem dos Enfermeiros a mudar de postura, adotando uma posição proativa de desenvolvimento deste setor e não de fonte de bloqueio como  tem demonstrado nos últimos anos.

A ANTEPH, disponibiliza-se a colaborar com o Ministério da Saúde e Instituto Nacional de Emergência Médica, na defesa dos interesses dos técnicos de emergência pré-hospitalar, bem como na definição concreta de um modelo formativo e regulamento da atividade que permita um exercício profissional, sem interferências de entidades externas ao setor.



A Direção da Anteph

Sem comentários:

Enviar um comentário