Negócios do Fogo - VIDA DE BOMBEIRO

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Negócios do Fogo


Todos os anos, o Estado gasta centenas de milhões de euros para financiar os meios de combate aos incêndios. A reportagem especial da SIC denuncia falta de rigor e clareza em muitos dos negócios.
A SIC teve acesso a vários pareceres da Autoridade Nacional de Proteção Civil, documentos que provam que, após algumas fiscalizações, o Estado conseguiu poupar milhares de euros na reparação de carros de bombeiros.

Nos voluntários da Amora, por exemplo, a instalação de uma bomba acoplada começou por custar 13.345 euros, valor que acabou reduzido em cerca de 4.300. Na Pontinha, os técnicos baixaram o orçamento do motor de uma viatura mercedes em mais de 3.000 euros.

Nenhuma das duas corporações aceitou falar publicamente sobre o assunto, mas os casos não são casos únicos.

Nota da redação:

O comandante dos Bombeiros Voluntários de São Mamede de Infesta, que é simultaneamente dono da empresa Touch Fire, foi mencionado nesta reportagem mas recusou ser entrevistado pela SIC.

Numa resposta por escrito, defende que não vê qualquer incompatibilidade no facto de comercializar produtos de combate a incêndios e permanecer no comando de uma corporação de bombeiros voluntários, porque a lei não o impede.

Confirma ainda que na empresa Touch Fire, trabalha um outro bombeiro, de outra corporação, com quem não é mantida qualquer relação contratual.

Fonte: SIC Noticias

Sem comentários:

Enviar um comentário