Relatório Sobre Tragédia de Pedrógão Censurado - VIDA DE BOMBEIRO

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

domingo, 26 de novembro de 2017

Relatório Sobre Tragédia de Pedrógão Censurado


O Governo divulgou publicamente o capítulo 6 do relatório do Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais da Universidade de Coimbra sobre a tragédia de Pedrógão Grande. 

No entanto, por deliberação da Comissão Nacional de Dados, dezenas de páginas foram apagadas para salvaguardar a identidade dos envolvidos. Em alguns dos casos, a ‘censura’ é aplicada a situações que já foram até relatadas pela imprensa, como é o caso de onze pessoas que se salvaram ao mergulhar num tanque público em Nodeirinho. 

O documento salienta o testemunho de um dos primeiros bombeiros a sair para o incêndio, com uma análise ao percurso e aos mortos e feridos que encontrou no caminho. Este homem fez um dos primeiros pedidos de socorro registados pela fita do tempo, pelas 19h25 do dia 17 de junho. É também revelado o percurso de um elemento que saiu para o local a pedido do Comandante Nacional para fazer o reconhecimento do perímetro do incêndio de Pedrógão Grande, acompanhado por elementos da Força Especial de Bombeiros, e que encontrou "19 ou 20 corpos" na EN236-1. 

PORMENORES  
65 vítimas oficiais 

O relatório da equipa liderada por Xavier Viegas elevou para 65 o número de vítimas na tragédia de Pedrógão Grande ao incluir Alzira Costa, idosa que morreu atropelada quando fugia das chamas. Do total, 61 pessoas morreram fora de casa. Prevenção avança Um grupo de trabalho está a coordenar intervenções em zonas atingidas pelos incêndios de Góis e Pedrógão Grande cobrindo o solo com caruma ou madeira triturada para evitar a erosão causada pela chuva, segundo o Ministério da Agricultura.

Fonte: Correio da Manhã

Sem comentários:

Enviar um comentário