Suspeito de Incêndios na Madeira Condenado a Três Anos de Prisão Efetiva VIDA DE BOMBEIRO: Sindicato dos Bombeiros Confirma Veracidade de Fotos Sobre Má Alimentação

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Sindicato dos Bombeiros Confirma Veracidade de Fotos Sobre Má Alimentação


O Sindicato Nacional dos Bombeiros Profissionais (SNBP) confirma a veracidade das fotos sobre a má alimentação que tem sido servida aos bombeiros durante o combate aos incêndios deste Verão e que têm sido principalmente divulgadas em redes sociais.

“Confirmamos uma a uma. Não há montagens nem falsidades, o que tem sido mostrado é a realidade”, disse nesta quarta-feira ao PÚBLICO o presidente do SNBP Sérgio Carvalho. 

O sindicalista diz existirem ainda “muitas outras situações que lhe têm sido relatadas” sobre má qualidade da alimentação ou bens insuficientes. Dá como exemplo o incêndio recente em Oleiros “onde foram servidas aos operacionais caixas com arroz, feijão e milho”.

Para Sérgio Carvalho a boa ou má alimentação dos bombeiros “é uma questão de sorte”. “Se tiverem a sorte de ser colocados a defender casas numa povoação têm a certeza que são bem alimentados porque as populações garantem que nada lhes falte. Se forem para o mato combater chamas, comem o que aparece, quando aparece.”

 A alegada má ou deficiente alimentação que tem sido dada a alguns bombeiros que têm andado a combater as chamas neste Verão levou já a que o Ministério da Administração Interna (MAI) ordenasse à Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) a abertura de um inquérito.

No passado dia 28, a Beira Baixa TV revelou um conjunto de fotos de 20 bombeiros de Beja que ajudaram a combater os fogos na zona de Castelo Branco a serem alimentados num restaurante da McDonald’s. “Um gesto bem significativo. McDonald's de Castelo Branco recebeu os bombeiros de Beja, alimentando-os e suportando todos os custos de logística”, revelava a legenda que acompanhava as fotos.

Guerra entre bombeiros e a Protecção Civil

No dia 26, Acácio Monteiro, comandante dos Bombeiros Voluntários de Brasfemes, no concelho de Coimbra, colocou o seguinte desabafo no Facebook: “Exige-se dignidade…Almoço – rodelas de salsicha com esparguete. Jantar – grão com atum. Vemos, ouvimos e lemos, não podemos ignorar… Alguém teria de ser responsabilizado pela ‘alimentação’ servida. Sabemos os valores definidos na circular financeira da ANPC (7 euros por refeição). O incêndio está em fase de rescaldo, os nossos bombeiros foram desmobilizados e, como é evidente, vão ser alimentados condignamente. É o mínimo que se exige…”

Continua acesa a guerra entre a Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) e a ANPC sobre quem é o primeiro responsável pela alimentação dos bombeiros nos teatros operacionais.

Ao início da noite de terça-feira, a APNC emitiu um longo comunicado no qual detalha as responsabilidades e volta a afirmar que a “Directiva Operacional Nacional n.º 2 atribui, no capítulo da logística e administração, a responsabilidade aos corpos de bombeiros por providenciarem o apoio necessário e indispensável à sustentação das operações de combate dos meios terrestres nos teatros de operações”.

Também ao final da tarde de terça-feira, a LBP emitiu um comunicado em que “lamenta que se endosse aos corpos de bombeiros a responsabilidade relativamente ao apoio logístico na área onde decorre o incêndio sem questionar a estratégia adoptada pelos responsáveis da ANPC presentes nos vários teatros de operações, nomeadamente a coordenação de todas as forças em presença e, inclusive, a sua logística.”

Fonte: Publico
Comentários
0 Comentários

Sem comentários:

Enviar um comentário

2015 Copyright – Todos os Direitos Reservados : VIDA DE BOMBEIRO