Suspeito de Incêndios na Madeira Condenado a Três Anos de Prisão Efetiva VIDA DE BOMBEIRO: O Português é Um Povo Guerreiro e Solidário

terça-feira, 22 de agosto de 2017

O Português é Um Povo Guerreiro e Solidário


Quem segue minha página do Facebook  já sabe o que houve neste domingo passado aqui onde vivo no interior do Porto. Presenciei um terrível incêndio que se alastrou de uma forma impressionante em poucos minutos e devastou toda a linda mata que temos ao nosso redor. 

Pouco antes do almoço ouvi vizinhos a sair pela rua e já pressentia que algo ruim estava a ocorrer, pois na sexta o governo já havia decretado Estado de calamidade publica em todo o país devido a elevadas temperaturas e forte vento, combinação perfeita para tragédias como a de Pedrógão Grande que vitimou mais de 60 pessoas e desalojou centenas. 
Vi de perto longas horas de trabalho intenso dos bombeiros e também dos moradores locais, cada um ajudando como podia. 

O medo e a sensação de impotência diante de algo tão atemorizante é triste demais, a pele arde, a alma chora.  Chorei quando filmei e quando tirei algumas poucas fotos, pois não me apetecia fotografar e sim ajudar. Mas fico com a sensação de que poderia ter ajudado mais. Graças ao trabalho árduo dos bombeiros nenhuma casa foi incendiada, foram apenas evacuadas por segurança. Trouxe os cães e gatos de algumas vizinhas para casa. Todos levaram agua e comida aos bombeiros, mas eles não desistiam de combater o fogo e nem mesmo aceitaram a comida. Tivemos cerca de 6 viaturas, dezenas de bombeiros, a foto abaixo é exatamente em frente a minha casa. Quando fui fotografar senti a pele arder mesmo estando do outro lado da rua. Tive de entrar e observar pela janela, já não era possível respirar la fora sem o uso de máscara.

Sempre soube e acompanhei os terríveis incêndios em todo sul europeu no verão, que, em alguns dias, pode ultrapassar os 40 graus. Escolhi viver no Norte porque é mais fresco, e em meio a natureza porque amo sentir o cheiro de terra, dos eucaliptos, do orvalho, acompanhar o crescimento das arvores frutíferas, observar e ouvir os pássaros a cantar... Sabia do risco que teria logo que conheci meu bairro e mesmo assim continuamos aqui. E vamos continuar, se Deus permitir.
Vi de perto o desespero de pessoas queridas, mas também vi de perto a solidariedade e força do português. Todos se ajudando, bombeiros acalmando crianças, mesmo cansados, com o rosto preto coberto pelas cinzas que voavam para todos os lados. 

Sou grata por poder viver junto deste povo guerreiro, que mesmo no desespero continua a acreditar na vida. Um povo que tem esperança de que tudo vai se resolver. E tudo se resolve mesmo. Assim é a vida. Era para ser um domingo de céu azul e em poucos minutos virou noite. 

Dormimos com um cheiro terrível de fumaça dentro de casa, acordamos com nossa linda vista aqui da frente toda seca, queimada, e ainda um rescaldo a lembrar dos momentos de pânico. Mas o importante é que acordamos e sobrevivemos! E somos gratos por isto! Pela chance de recomeçar, de seguir a vida, limpar a sujeira, sacudir a poeira e esperar pela chuva que trará o nosso verde de volta. Porque um dia a chuva chega e um dia o verde volta...

Este foi o texto que publiquei ontem no Facebook do Portugal visto por mim:

Reflexão do dia. Reflexão da vida. 

Somos um grão de areia perto de fenômenos da natureza, neste caso, o fogo. Senti o arder da pele, a falta de ar, o coração acelerar por medo de estar na frente de algo com uma força gigantesca! Gostava de ter feito mais por todos os vizinhos, pela natureza perdida, pelos bombeiros...Diante deste poder destrutivo gigantesco eu fiz o que pude, e acho que fiz pouco. Chorei por sentir-me impotente diante da nuvem negra e das labaredas que ardiam. 

Vi o dia virar noite em minha rua em poucos minutos. Casas logo à frente da minha foram evacuadas. Graças aos bombeiros o fogo foi abatido depois de longas horas de trabalho e muito cansaço! Estas cenas que registrei representam o pânico entre todos, principalmente das crianças. Abriguei em minha casa 6 cachorros, 4 gatos e minha vizinha de 8 anos que estava em crise de pânico. Todos ajudamos os bombeiros e vizinhos com casas afetadas, cada um de sua maneira. 

Graças a Deus e aos anjos bombeiros ninguém se feriu, mas não sei se posso dizer o mesmo dos animais silvestres que aqui habitam. Oremos pelo nosso país que arde e chora! Não somos nada sozinhos, mas juntos podemos muito! Em momentos como este damos a verdadeira dimensão a palavra SOLIDARIEDADE!  😓😓🙏🏻🙏🏻

Fonte: https://www.portugalvistopormim.pt/




Comentários
0 Comentários

Sem comentários:

Enviar um comentário

2015 Copyright – Todos os Direitos Reservados : VIDA DE BOMBEIRO