112 recebeu 6,95 milhões de chamadas em 2023 - 1,26 milhões eram falsas - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

domingo, 11 de fevereiro de 2024

112 recebeu 6,95 milhões de chamadas em 2023 - 1,26 milhões eram falsas

 


No ano passado, os Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) recebeu mais de 1,5 milhões de chamadas, entre as quais feitas via linha de emergência 112, pelo Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM) e as transferidas pelo SNS 24, avançou o INEM. Este domingo assinala-se o Dia Europeu do 112.


Em 2023, os CODU do INEM receberam 1 514 529 chamadas as quais as recebidas através do serviço 112 português pelas forças de segurança para assistência a vítimas de acidente ou de doença súbita e os pedidos de triagem por parte do SIEM, bem como as chamadas transferidas diretamente pelo Centro de Contacto do Serviço Nacional de Saúde (SNS 24).


Mas nem todos os pedidos de ajuda recebidos o ano passado correspondiam a situações emergentes, pelo que os CODU transferiram para o SNS24 mais de 2,4 milhões de chamadas relacionadas com outras situações de saúde em que não se verficou a necessidade de enviar uma ambulância ou outro meio de emergência. A situação inversa também se verificou: por seu turno, a linha de saúde transferiu para  mais de 56,2 mil chamadas para os operacionais do INEM por se tratarem realmente de situações de emergência. 


Os operadores dos CODU, cujo funcionamento é assegurado 24 horas por dia, atenderam, assim, uma média diária de 4 149 telefonemas, mais de cerca de 173 por hora, estima o INEM, a propósito do 33.º aniversário da linha de emergência 112.


Entre os principais motivos que originaram chamadas estão situações de trauma, alteração do estado de consciência, dispneia (falta de ar) e dor torácica. As chamadas relativas a urgências fizeram com que os CODU acionassem mais de 1,4 meios de emergência médica para prestarem a assistência necessária às situações reportadas, entre ambulâncias, motociclos de emergência, viaturas médicas de emergência e reanimação e helicópteros.


Outros canais de resposta do INEM como o Centro de Informação Antivenenos (CIAV) e o Centro de Apoio Psicológico e Intervenção em Crise (CAPIC) receberam, respetivamente, mais de 27 mil chamadas relacionadas com intoxicações e mais de 20,6 mil chamadas relativas a emergências psicológicas.


Os CODU do INEM avaliam todos os pedidos recebidos de forma a acionar os recursos necessários e adequados a cada ocorrência. Por isso, o INEM apela que os cidadãos colaborem para um correto funcionamento do serviço 112, ligando apenas nas situações de emergência, onde exista perigo de vida iminente, como acidente ou doença súbita.


O INEM pede ainda que no momento do contacto o cidadão indique aos operadores a localização exata (sempre que possível, com indicação de pontos de referência), o número de telefone do qual está a ligar, o tipo de situação que quer reportar, o número, o sexo e a idade aparente das pessoas a necessitar de ajuda, e as queixas principais e as alterações que observa.


"As perguntas efetuadas pelos profissionais dos CODU são muito importantes para a atuação do INEM, pois visam determinar qual o tipo emergência e os meios de socorro mais adequados para dar resposta à situação em questão. Deste modo, facultar toda a informação que seja solicitada vai permitir uma assistência mais eficaz", explica o INEM. 


JN

Sem comentários:

Enviar um comentário