Bombeiros da Lixa celebram 135 anos de “dedicação” e “empenho” à população - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2024

Bombeiros da Lixa celebram 135 anos de “dedicação” e “empenho” à população

 


Os Bombeiros Voluntários da Lixa assinalam, em 2024, o seu 135.º aniversário. Vítor Meireles é o comandante há sete anos e falou, em entrevista ao Jornal A VERDADE, sobre como é estar à frente desta corporação e também quais as principais necessidades que enfrenta.


Ser comandante é “um orgulho enorme”, uma vez que representa “uma instituição, a mais antiga do concelho e a sétima mais antiga do distrito”, sendo ainda um desafio. “Encarei o desafio com toda a vontade de conseguir desempenhar o papel com a melhor das circunstâncias”, descreveu.


Uma das preocupações do comandante é um pouco “transversal” a todas as corporações: a quebre do voluntariado. “Continuo com cerca de 107 bombeiros no quadro ativo. Estamos numa fase de fecho de ciclo operacional e iremos fazer uma nova reavaliação, mas a realidade é comum a todas as corporações”, disse.


Para Vítor Meireles, “a natureza do bombeiro é uma causa única. A missão de ajudar os outros é muito nobre e não há palavras para expressar a dedicação e a grandeza de tão nobre missão. Mas, infelizmente, nem assim conseguimos cativar jovens”, lamentou, acrescentando que são dadas “muitas e boas condições”, mas, para se ser bombeiro é preciso vocação.


O comandante defende que se pode começar “a tentar encontrar um conjunto de explicações, mas não seria fácil. Estarem em casa, as novas tecnologias, outras ocupações que antigamente não existiam… podem ajudar, mas não sei. Hoje em dia, está tudo ao alcance de um clique, no telemóvel, o que poderá ser uma das explicações, que me deixa com muita tristeza”.


Apesar das condições não serem “perfeitas”, os bombeiros “continuam a fazer um trabalho de excelência. Antes de se ser assalariado, é-se voluntário. É algo que tem de ser revisto pelas autoridades competentes, para, de uma forma mais abrangente, arranjar uma solução para minimizar esta problemática”.


Para além deste “principal problema”, os Bombeiros da Lixa precisam também de “obras no quartel ou de um quartel novo”, devido “ao aumento da melhoria das condições para os operacionais”.


Vítor Meireles garantiu que já foram dados “os primeiros passos para tentar concretizar esta situação”, sendo um dos objetivos dos 135 anos. “Acho que o quartel já não reúne condições para fazer face às necessidades atuais”, focando-se, para além de outros aspetos, nas camaratas femininas e também nas salas de formação. “Quem não sabe, não salva nem se salva e, por isso, é cada vez mais importante investir nisso.  Há infraestruturas que são difíceis de reaproveitar, e é nessa questão que nos estamos a debater, queremos encontrar apoios para dotar os bombeiros, ou com obras no quartel, ou com um quartel novo. Esse é o nosso grande objetivo, sendo que os outros, aos poucos, estamos a conseguir fazê-los”, apontou.


Para Vítor Meireles, a formação “é essencial”, tendo sido “uma das principais preocupações. Dotamos os nossos operacionais com formação que eu achava que era condizente para a responsabilidade que temos na sociedade”, frisou.


Um bombeiro, na maioria das vezes, tem de saber um pouco de tudo e também não é fácil


Os Bombeiros Voluntários da Lixa contam, atualmente, com 26 viaturas operacionais e o comandante realça a importância da direção. “Tenho a facilidade de ter uma direção que, de facto, partilha daquilo que são as minhas opiniões. É a simbiose quase perfeita, eles têm de perceber que, para darmos o melhor de nós, temos de ter as melhores condições e, nesse sentido, temos, de facto, as melhores condições. Em termos de parque de viaturas, estou perfeitamente tranquilo e a nossa população tem de estar descansada. Temos os melhores equipamentos, além dos melhores operacionais para dar a melhor das respostas”, afirmou.


Os 135 são uma data que “já começa a pesar” para o comandante. “É o trabalho de muita gente que por aqui passou. O melhor que posso fazer para honrar e perpetuar a memória de todos aqueles que construíram uma história tão bonita é que os 135 anos sejam uma data marcante e que tenhamos, nesse dia, uma formatura fantástica, um exemplo fantástico daquilo que é a união dos nossos bombeiros”.


Para isso, está idealizado “um conjunto de atividades” que já se começaram a realizar. “A primeira iniciativa foi o passeio de Natal, no qual tivemos a colaboração da população. Ao longo de todos os meses, iremos divulgar iniciativas para perpetuar esta data. Não é todos os dias que se fazem 135 anos e espero estar à altura das expectativas e que os bombeiros correspondam para, mais uma vez, os Bombeiros Voluntários da Lixa serem lembrados como uma instituição, não melhor nem pior, mas diferente das outras”.


Por fim, Vítor Meireles deixa uma mensagem, em primeiro lugar “à população”, de “agradecimento pela forma como colaboram com a nossa instituição.O apoio deles é inexcedível naquilo que é, muitas das vezes, o cumprimento da nossa missão. De forma direta, ou indireta, com a sua contribuição, seja como beneméritos, associados, um mero contributo simbólico que, por vezes, sentem necessidade de dar, permite-nos fazer aqui uma aquisição de verbas importantíssima para dotar os nossos bombeiros das melhores condições”.


À direção, “por todas as condições para que possa desempenhar a minha função da melhor forma possível”, e, por último, “mas sempre os primeiros, os meus bombeiros. Não adianta termos as melhores condições, o melhor dos mundos, se não tivermos bombeiros não vale de nada. Os bombeiros são a base e os alicerces desta casa, sem eles nada disto seria possível. Agradecer a dedicação, o empenho, a entrega, uns mais outros menos, mas a história é feita destas circunstâncias. A eles o meu reconhecido”, finalizou.


Jornal A Verdade

Sem comentários:

Enviar um comentário