Mau tempo: Quase 300 ocorrências registadas entre as 14:00 e as 07:00 - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quarta-feira, 17 de janeiro de 2024

Mau tempo: Quase 300 ocorrências registadas entre as 14:00 e as 07:00

 


A Proteção Civil registou, entre as 14:00 de terça-feira e as 07:00 de hoje, 293 ocorrências devido ao mau tempo, a maioria na Península de Setúbal e Área Metropolitana do Porto, sem causar vítimas ou danos.


“Registámos entre as 14:00 [de terça-feira], hora em que se iniciou o estado de alerta especial da proteção civil, e as 07:00 de hoje 293 ocorrências no âmbito da meteorologia extrema, sendo que as regiões mais afetadas são a Península de Setúbal e a Área Metropolitana do Porto e a tipologia de ocorrência mais frequente é a queda de árvores, inundações e queda de estruturas”, disse à Lusa o comandante Miguel Oliveira.


De acordo com o comandante da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), na Península de Setúbal foram registadas 61 ocorrências e na Área Metropolitana do Porto 46.


“Não há vítimas nem danos graves a registar, nem temos conhecimento de estradas cortadas”, disse.


Contactado cerca das 07:00 pela Lusa, fonte do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa disse que “a noite foi calma, tendo sido registadas ocorrências sem gravidade”.


Na terça-feira, a proteção civil registou entre as 14:00 e as 23:00 mais de 200 ocorrências, a maioria quedas de árvore ou estruturas, sendo que 75 ocorreram na região Norte e 53 na Península de Setúbal.


A região de Lisboa e Vale do Tejo registou a maioria das ocorrências, com 53 a ocorrerem na Península de Setúbal.


Os 18 distritos do continente estão sob aviso amarelo até às 18:00 de hoje devido à previsão de chuva por vezes forte e de vento, devido aos efeitos da depressão ‘Irene’, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).


Bombeiros TV

Sem comentários:

Enviar um comentário