Inundações sobem número de desalojados em Évora para 14 - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

sexta-feira, 19 de janeiro de 2024

Inundações sobem número de desalojados em Évora para 14

 


O número de desalojados por inundações em casas devido ao mau tempo que assolou esta sexta-feira a região de Évora subiu para 14, com mais oito pessoas afetadas na capital de distrito, informou a Proteção Civil.


Fonte do Comando Sub-Regional de Emergência e Proteção Civil do Alentejo Central indicou à agência Lusa que os casos em que pessoas ficaram desalojadas neste distrito alentejano ocorreram em Borba, Montemor-o-Novo e em Évora.


No caso de Évora, salientou à Lusa o coordenador municipal de Proteção Civil de Évora, Joaquim Piteira, oito pessoas ficaram desalojadas e foram acompanhadas pelos serviços de ação social da câmara e encaminhadas para alojamento temporário.


Um casal, na casa dos 40 anos, e um filho, de 4 anos, que vivem no bairro das Espadas, na cidade, foram realojados numa unidade hoteleira, enquanto uma idosa, com 80 anos, residente na mesma zona, foi encaminhada para uma Estrutura Residencial Para Pessoas Idosas, referiu.


Os outros casos, segundo o responsável, ocorreram em quintas situadas na periferia da cidade e afetaram uma mulher, de 46 anos, e a filha, de 16, que acabaram por posteriormente decidir regressar a casa, assim como um casal, na casa dos 60 anos, realojado temporariamente num hotel.


De manhã, como noticiou na altura a Lusa, a Proteção Civil divulgou que seis pessoas tinham ficado desalojadas no distrito de Évora - duas em Borba e quatro em Montemor-o-Novo -, após inundações nas suas habitações provocadas pelo mau tempo.


No concelho de Borba, "um casal idoso ficou desalojado e foi realojado em casa de familiares", de acordo com o Comando Sub-Regional de Emergência e Proteção Civil do Alentejo Central.


Já a coordenadora municipal de Proteção Civil de Montemor-o-Novo, Sandra Matias, indicou à Lusa que uma das inundações ocorridas no concelho afetou uma casa em S. Brissos, na freguesia de Santiago do Escoural, desalojando uma mulher, de 50 anos, realojada em casa de amigos.


A outra situação atingiu um casal e a filha, cujas idades a coordenadora disse desconhecer, residentes no lugar do Moinho da Ana, na União de Freguesias de Nossa Senhora da Vila, Nossa Senhora do Bispo e Silveiras. Estas três pessoas foram realojadas em casa de amigos.


Em ambas as ocorrências, as casas sofreram inundações por estarem situadas junto a cursos de água, cujos caudais subiram devido à chuva.


De acordo com a fonte da Proteção Civil do Alentejo Central, entre as 00.00 horas e as 18 horas desta sexta-feira, registaram-se, nesta região, 54 ocorrências relacionadas com o mau tempo, nomeadamente inundações, lavagens de pavimento e movimento de massas.


Estiveram envolvidos nas operações 183 operacionais, apoiados por 81 veículos, acrescentou.


JN

Sem comentários:

Enviar um comentário