Colisão frontal faz dois mortos e quatro feridos na marginal de Gondomar - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quinta-feira, 11 de janeiro de 2024

Colisão frontal faz dois mortos e quatro feridos na marginal de Gondomar

 


Uma colisão frontal, esta manhã de quinta-feira, entre um ligeiro de mercadorias e outro de passageiros, na marginal de Gondomar, provocou dois mortos e quatro feridos. Algumas das vítimas tiveram de ser desencarceradas.


O acidente deu-se quando o carro, onde seguiam as vítimas mortais e os três feridos com gravidade, na casa dos 20 anos e de nacionalidade brasileira, se despistou, acabando por colidir frontalmente com a carrinha de caixa aberta. Um terceiro veículo envolveu-se no acidente, ao embater na traseira do veículo de mercadorias.


Segundo o capitão Bruno Rodrigues, da GNR, o óbito das duas vítimas mortais foi declarado no local. Os feridos, três graves e um ligeiro, o único ocupante da carrinha, foram transportados para o Hospital de Santo António, no Porto.


José Pinto, 52 anos, condutor da terceira viatura envolvida, contou ao JN que ainda viu "o carro a entrar em despiste e a embater contra a carrinha", descrevendo que na altura "o piso estava molhado". 


Devido ao acidente, cerca das 7.20 horas, na zona de Santiago, a EN 108 esteve com a circulação cortada até às 12.15 horas, com vários quilómetros de fila em ambos os sentidos. 


Houve operários, que atrasados que estavam para o trabalho, não viram outra solução se não fazer o trajeto a pé pela berma da estrada.


Com vários autocarros da Unir também parados na EN108, houve dezenas de jovens que faltaram às aulas. Beatriz Duarte e Guilherme Ferreirinha, de 15 anos, saíram de Rio Mau, em Penafiel, por volta das 7.45 horas e mais de três horas depois ainda estavam à espera que o trânsito reatasse, para "no mínimo" ainda conseguirem ir às aulas da tarde, na Escola Secundária de Medas, Gondomar.


No socorro, estiveram 34 bombeiros, apoiados por 15 viaturas, entre bombeiros, INEM, GNR e Polícia Municipal.


JN

Sem comentários:

Enviar um comentário