Meios Aéreos de Combate a Incêndios Vão Ficar em Ovar - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quarta-feira, 22 de novembro de 2023

Meios Aéreos de Combate a Incêndios Vão Ficar em Ovar

 


Os meios aéreos de combate a incêndios vão ficar concentrados na futura Base Área n.º 8, atual Aeródromo de Manobra n.º 1, em Ovar.  A informação foi avançada, esta manhã, aquando da apresentação pública dos quatro novos helicópteros que vão integrar o dispositivo de combate aos incêndios.


Fonte do Ministério da Defesa informou que a já anunciada passagem do Aeródromo de Manobra n.º 1 a Base Aérea n.º 8, em 2025, irá possibilitar a concentração dos meios aéreos de combate a incêndios em Ovar. Como consequência, irão crescer naquele espaço os recursos humanos e o número de esquadras de voo.


A informação foi avançada à margem da cerimónia oficial de apresentação de quatro novos helicópteros, dois médios Black Hawk e dois helicópteros ligeiros Koala, que irão integrar o dispositivo de combate a incêndios. No total, serão adquiridos onze novos helis, até 2025.


Dos quatro novos apresentados, apenas os Koala, destinados a reconhecimentos e resgates, estarão disponíveis para atuar em breve nestes cenários. Os restantes novos meios aéreos entrarão faseadamente ao serviço até 2026.


Assim, o dispositivo de combate a fogos contará, no futuro, com um total de 14 helicópteros, ja que o Estado tinha passado, em 2018, para a responsabilidade da Força Aérea outros três helicópteros. A cerimónia de hoje contou com a presença do primeiro-ministro, António Costa, e da ministra da Administração Interna, Helena Carreiras.


António Costa, que não prestou declarações aos jornalistas, lembrou na cerimónia que os 11 novos meios aéreos representam um investimento de 70 milhões de euros dos 615 milhões de euros previsto de investimento na "área da reforma da floresta".


JN

Sem comentários:

Enviar um comentário