INEM reforça dispositivo com mais 10 ambulâncias até ao fim de setembro - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________

quinta-feira, 28 de julho de 2022

INEM reforça dispositivo com mais 10 ambulâncias até ao fim de setembro

 


O INEM anuncia que o Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM) vai ser reforçado a partir de 1 de agosto com mais 10 ambulâncias, que vão funcionar "em zonas onde se tem verificado uma maior procura de serviços". Esta informação foi avançada em comunicado depois dos atrasos que o INEM registou na semana passada, que foi justificado pelo INEM com um aumento acentuado da sua atividade.


Em comunicado, o INEM informa que no norte do país, o dispositivo passa a contar com mais três Postos de Emergência Médica (PEM), nas delegações da Cruz Vermelha Portuguesa de Braga, Vila do Conde (ambulância a operar em Matosinhos) e Sanguedo (Santa Maria da Feira).


Na zona sul, e especificamente na zona de Setúbal, o INEM anuncia o acréscimo de sete novos PEM, localizados nos Bombeiros Voluntários (BV) de Pinhal Novo, BV de Santo André, BV de Alvalade (Sado), BV de Grândola, BV de Barreiro - Corpo de Salvação Pública, BV de Sesimbra e BV de Santiago do Cacém.


O INEM explica que este reforço decorre da articulação com os seus parceiros do SIEM - Corpos de Bombeiros (CB) e a Cruz Vermelha Portuguesa (CVP). Decorrerá até ao dia 30 de setembro, juntando-se assim aos meios que desde o início de junho têm reforçado o dispositivo, num total de 33 meios adicionais. "Enquanto entidade responsável pelo SIEM em Portugal Continental, cabe ao INEM acompanhar e analisar de forma constante as necessidades reais da população e, sempre que necessário, ajustar ou reforçar os meios de emergência para adequar a capacidade do sistema", acrescentam.


Recorde-se dia 18 de julho, em Campolide, uma idosa de 83 anos morreu depois de ter estado uma hora e meia à espera do INEM e de ter sido feito o pedido de auxílio a 29 entidades diferentes, todas ocupadas.


Num esclarecimento feito a 23 de julho, o INEM confirmou a abertura de um processo de inquérito para apurar as responsabilidades e revelou que, durante este período, registou "um aumento muito acentuado da sua atividade".


A título de exemplo, revelou que no dia 18 de julho, o Centro de Orientação de Doentes Urgentes do INEM registou 4715 chamadas de emergência, mais 952 chamadas face a período igual de 2021. No caso de Lisboa, nos primeiros seis meses de 2022, o INEM explica que "há registo de 48 410 ocorrências, um acréscimo de 23% comparativamente a 2021".


JN

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________