Governo quer formar mais de três mil agentes de Proteção Civil até 2023 - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________

domingo, 8 de maio de 2022

Governo quer formar mais de três mil agentes de Proteção Civil até 2023

 


O Ministério da Administração Interna pretende formar 3300 novos agentes de proteção civil até ao final de 2023. A meta foi anunciada, este domingo, pelo ministro José Luís Carneiro, durante a cerimónia comemorativa do Dia do Bombeiro, no Porto.


Depois de recordar o investimento que tem sido feito, em particular nos últimos dois anos ao nível da dotação orçamental, o ministro da Administração Interna prometeu que o Governo vai continuar a "reforçar a robustez" do sistema de Proteção Civil.


"É nossa firme intenção de continuar a seguir este objetivo", assegurou José Luís Carneiro, ao participar na cerimónia comemorativa do Dia do Bombeiro, promovida pela Liga Portuguesa dos Bombeiros, no Porto.


No entanto, apontou o ministro, "os desafios que se apresentam a este sistema são enormes e cada vez mais complexos". Em causa, sobretudo ao aumento de fenómenos naturais que torna mais complexo o combate a incêndios florestais.


Garantindo que o Governo está ciente dessa realidade, José Luís Carneiro destacou o facto de o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) prever uma dotação de 20 milhões de euros para a aquisição de 81 veículos florestais (12,6 milhões de euros), para reforçar a segurança pessoal dos bombeiros (seis milhões de euros) e para a aposta na formação (um milhão de euros).


O objetivo, segundo o titular da Administração Interna, é conseguir, até ao final de 2023, a formação de 3.300 novos agentes de proteção civil. Uma aposta que mereceu elogios do presidente da República.


"Saber que o Ministério da Administração Interna está consciente, que compreende, que apoia e que vai apoiar mais no que é fundamental na vossa missão, que é a formação, e ao mesmo tempo proporcionar meios, equipamentos e está preocupado com a vossa proteção social, significa que que também aqueles que mandam têm corresponsabilidade de responder à vossa responsabilidade", vincou Marcelo Rebelo de Sousa.


Numa cerimónia, que contou com um desfile de 1300 bombeiros de todo o país e 70 veículos de todas as tipologias de intervenção, o presidente da República condecorou a Liga Portuguesa dos Bombeiros com a Ordem do Infante D. Henrique, pelo "prestígio" e "abnegação" conhecidos e respeitados no estrangeiro.


Já o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, e o presidente da Comissão Distrital de Proteção Civil do Porto, Marco Martins, foram galardoados com o Crachá de Ouro da Liga Portuguesa dos Bombeiros, num dia em que o presidente da Liga, António Nunes, pediu "um processo coerente de organização" entre os agentes de Proteção Civil, além da simplificação de apoios e incentivos.


Fonte: JN

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________