Combate a Incêndios Florestais tem mais Um Milhar de Operacionais - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________

quarta-feira, 11 de maio de 2022

Combate a Incêndios Florestais tem mais Um Milhar de Operacionais

 


Mais de 9 600 operacionais vão entrar, no próximo domingo, no segundo nível de empenhamento de forças do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECI) deste ano, o que representa um aumento em mais de um milhar, comparado com o previsto na Diretiva Nacional de 2021, segundo o documento que está a ser discutido, na tarde desta quarta-feira, na Comissão Nacional de Proteção Civil (CNPC).


De acordo com o documento a que o JN teve acesso, o DECIR 2022 prevê o empenhamento, entre 15 e 31 de maio, de um total de 9 605 elementos, mais 1 068 do que os 8 537 previstos da diretiva homóloga do ano passado, bem como até 2 049 veículos, ou seja, mais 469 do que os 1 940 de 2021.


Nos restantes níveis de empenhamento, há também um aumento expressivo de forças, atingindo o máximo de 12 892 operacionais nos meses de julho, agosto e setembro, o que representa um aumento em 834 operacionais. O número de viaturas regista também um acréscimo, passando de 2 656 em 2021 para 2 815 neste ano.


Entre as forças dos vários agentes de proteção civil integradas no dispositivo especial deste ano, destaca-se o reforço significativo em termos de equipas de intervenção permanente (EIP) - constituídas por elementos profissionalizados no seio de corpos de bombeiros voluntários - que ascendem agora a 509, contra 338 no ano passado.


Outra novidade é a entrada no DECIR da nova Força de Sapadores Bombeiros Florestais (FSBF), do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (INCF), um corpo profissional de prevenção (gestão e combustíveis no inverno, por exemplo) e combate a incêndios no meio florestal.


Depois da aprovação, em sede de CNPC, o DECIR deve ser apresentado publicamente no próximo sábado, em Castanheira de Pêra, estando também previstas apresentações dos planos distritais.


A Comissão Nacional de Proteção Civil é presidida pelo ministro da Administração Interna e é integrada por delegados dos ministros das áreas da Defesa, Justiça, Ambiente, Economia, Agricultura, Florestas, Obras Públicas, Transportes, Comunicações, Segurança Social, Saúde e Investigação Científica.


São também membros da Comissão o presidente da Autoridade Nacional de Proteção Civil, representantes das associações nacionais de Municípios e de Freguesias, da Liga dos Bombeiros Portugueses e da Associação Nacional dos Bombeiros Profissionais.


Participam ainda na Comissão representantes do Estado-Maior-General das Forças Armadas, da Guarda Nacional Republicana, da Polícia de Segurança Pública, da Polícia Judiciária, do Gabinete Coordenador de Segurança, da Autoridade Marítima, da Autoridade Aeronáutica e do Instituto Nacional de Emergência Médica.


Fonte: JN

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________