Incêndio Destrói Fabrica em Braga - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________

sábado, 12 de março de 2022

Incêndio Destrói Fabrica em Braga

 


Os bombeiros de oito corporações conseguiram minimizar as consequências do incêndio que deflagrou, esta sexta-feira à noite, na empresa de metalurgia Polibarral, em Ferreiros, Braga, e os dois pavilhões contíguos foram salvos das chamas.


O alerta para o incidente soou pelas 23 horas desta sexta-feira. Ângela Fernandes, chefe de equipa da empresa Exact Systems, adiantou ao JN que foi um colega de trabalho que se apercebeu "do fumo" a sair da metalúrgica, "quando saiu à rua para levar a folha de ponto a outro pavilhão", situado na mesma rua.


José Ferreira, dono da Polibarral, revelou que tinha saído da empresa pelas 21 horas. "Às 22.30 horas ligaram-me da Prosegur a dizer que o alarme disparou", contou, enquanto olhava desolado para o armazém em chamas.


"Fiquei em choque quando me ligaram. E quando cheguei, já só via fumo", recorda o empresário, garantindo que "tinha tudo direitinho em termos de segurança". "Não sei como foi acontecer", reforçou, confidenciando que já tinha investido "cerca de um milhão de euros" na firma, desde que a abriu no final de 2017.


Foi em Ferreiros que abriu o negócio, depois de, em outubro de 2017, já ter perdido uma empresa no grande incêndio da Falperra, também em Braga. "Não sei como vou aguentar", lamentou, sublinhando que tem 17 trabalhadores a cargo.


Pedro Ribeiro, comandante dos Bombeiros Voluntários de Braga, garantiu que o fogo ficou circunscrito à Polibarral - que ficou completamente destruída -, tendo os operacionais salvaguardado os edifícios da Exact Systems e da Estevauto.


"Estes armazéns têm muita capacidade de retenção em termos térmicos", descreveu o responsável, referindo que, quando chegaram ao local, o pavilhão "já estava todo tomado" pelas chamas.


"Havia muita temperatura e alguns produtos inflamáveis", continuou Pedro Ribeiro, assegurando que será feita "avaliação" das paredes dos pavilhões contíguos.


Ao lado dos Bombeiros Voluntários de Braga, estiveram as corporações de Barcelinhos, Taipas, Amares, Famalicão, Famalicenses, Viatodos e Sapadores de Braga, num total de 65 operacionais.


A proteção civil municipal foi chamada ao local. A PSP tomou conta da ocorrência.


Fonte: JN

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________