Contido Risco de Incêndio em Central Termoelétrica de Gondomar Devido a Fuga de Óleo - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________

sábado, 9 de outubro de 2021

Contido Risco de Incêndio em Central Termoelétrica de Gondomar Devido a Fuga de Óleo

 


A Central Termoelétrica da Tapada do Outeiro, em Medas, Gondomar, correu risco elevado de incêndio, durante a tarde desta sexta-feira, devido a uma fuga de óleo de lubrificação. O incidente está "ultrapassado", nota a empresa responsável pela infraestrutura.


De acordo com a Turbogás, empresa responsável pela central, a fuga deveu-se a "um problema técnico". "Foram de imediato tomadas todas as medidas necessárias ao controlo da ocorrência, não existindo quaisquer riscos de incêndio, nem de contaminação ambiental, podendo o incidente considerar-se desde já ultrapassado", informou a empresa, em comunicado.


As cinco corporações de bombeiros do concelho (Gondomar, S. Pedro da Cova, Areosa - Rio Tinto, Valbom e Melres) estiveram no local, bem como a de Crestuma, de Gaia, por prevenção.


Às 19.30 horas, o presidente da Câmara de Gondomar, Marco Martins, explicou à Lusa que o óleo estava "contido", a temperatura das infraestruturas à volta da caldeira "muito mais baixa" e o risco de incêndio, que às 17.30 horas "era muito elevado", alterou-se para "médio ou baixo". "A situação tende a ficar controlada", clarificou, admitindo, no entanto, que poderia "demorar duas ou três horas".


Devido ao acidente, "teve de se parar a produção numa das turbinas" o que faz com que a central "esteja agora com dois terços da produção", explicou o autarca. Marco Martins disse ainda que "em princípio não haverá quebra de fornecimento de energia", uma vez que, sendo sexta-feira, a maioria das "empresas fecha para gozo do fim de semana".


Sobre o "eventual derrame de óleo para o rio [Douro]", o autarca acrescentou que a situação "está calculada" e que a central dispõe de "tanques de retenção para todo o óleo que se perdeu". Questionado pela Lusa sobre o volume do derrame, Marco Martins disse tratar-se "de muitos milhares de litros de óleo".


De acordo com fonte dos Bombeiros Voluntários de Melres, o derrame ocorreu às 17.28 horas. Nessa altura, o risco de incêndio era elevado devido à quantidade de óleo que se dirigia "a uma turbina que trabalha a 370 graus".


Fonte: JN

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________