Serão as EIP Mais Um Tiro nos Pés? - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________

quarta-feira, 15 de setembro de 2021

Serão as EIP Mais Um Tiro nos Pés?

 


Serão as EIP um verdadeiro incremento naquilo que é a melhoria da prestação operacional dos Corpos de Bombeiros Voluntários ou mais um tiro nos pés e uma forma de, mais uma vez, nos vermos rebaixados pelos demais intervenientes nisto a que designamos de Proteção Civil?


Há dias surgiu-me esta dúvida depois de ter lido algures o anúncio do aumento do número de Equipas de Intervenção Permanente (EIP) no País.


Acho sinceramente que as EIP podem ser um incremento muito positivo e que, com mais ou menos nuances, este poderá muito bem ser o futuro da tão falada profissionalização, basta para isso que as Associações de Bombeiros (que assinam os protocolos com os Municípios e com a ANEPC) vejam aqui uma forma de melhorar a operacionalidade dos seus Corpos de Bombeiros e não apenas uma forma de pouparem largos milhares em ordenados.


As “verdadeiras” EIP, na minha opinião, são uma mais-valia naquilo que é a diferenciação do desempenho, um incremento na operacionalidade pela disponibilidade de obter formação específica/especializada e realizar treino (especifico e físico), um exemplo para os restantes Bombeiros Voluntários que os tentarão acompanhar e têm um papel muito importante naquilo que é a troca de conhecimentos com estes. 


São por isso, e sem dúvida (nestes moldes), uma forma de aumentar o nível de desempenho e operacionalidade dos Corpos de Bombeiros a todos os níveis!


Ao invés disso continuam a ver-se por aí alguns maus exemplos de associações que, pelos problemas financeiros que atravessam, ou não, tentam apenas, com a criação de EIP’s nos Corpos de Bombeiros que detêm, diminuir os custos com os recursos humanos. 


É aqui que “voltamos” a dar o tal tiro nos pés… de caçadeira… e nos dois! 


Quando temos uma equipa de 5 homens que ao invés de serem operacionais de referência são mais cinco bombeiros, que se limitam a obter anualmente os mínimos no Teste de Cooper, que não recebem formação, que não treinam, que se passeiam pelo quartel ou que estão alocados aquilo que é a atividade de transporte não urgente de doentes, estamos com certeza a manchar a imagem de todos os Corpos de Bombeiro do País e a pintar de bem negro o nosso futuro. 


É claro que convém não esquecer quem é o responsável pela proteção civil municipal e qual deveria ser o seu verdadeiro papel nesta questão ou até mesmo qual deveria ser o papel da ANEPC e da ENB….. mas isso dava pano para mangas!


Temos TODOS de fazer mais e melhor se queremos um futuro diferente para os nossos Bombeiros!


Voluntários na Missão mas Profissionais na Ação!


"Zé Manel"


Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________