Jovem “Revoltado” Por Não Poder Ser Bombeiro Suspeito de Atear Cinco Incêndios em Valença - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________

sexta-feira, 3 de setembro de 2021

Jovem “Revoltado” Por Não Poder Ser Bombeiro Suspeito de Atear Cinco Incêndios em Valença

 


Um homem de 29 anos, desempregado e “revoltado” por não poder exercer funções de bombeiro voluntário, foi detido pela Polícia Judiciária (PJ) em Valença por suspeita de cinco crimes de incêndio florestal, informou hoje aquela força policial.


Segundo comunicado do Departamento de Investigação Criminal da PJ de Braga, o suspeito “terá ateado os incêndios com recurso a chama direta, motivado por um sentimento de revolta pela sua inaptidão para o desempenho de funções de bombeiro voluntário”.


“Os incêndios eram ateados sobretudo a altas horas da madrugada e consumiram principalmente vegetação arbustiva e arbórea, não tendo atingido maiores proporções e manchas florestais adjacentes, de dimensões consideráveis, devido à rápida intervenção dos bombeiros”, refere a nota da PJ enviada à imprensa.


Segundo a PJ, “um dos incêndios, ocorrido em setembro de 2020, causou danos consideráveis em um pavilhão industrial”.


A polícia suspeita que o homem “seja responsável pela autoria de dezenas de incêndios ocorridos nos últimos anos” naquele concelho do distrito de Viana do Castelo.


De acordo com a PJ, os incêndios ocorreram no verão de 2020 e 2021, em freguesias de Valença “com grande dispersão geográfica”.


A detenção “do presumível autor de cinco crimes de incêndio florestal” ocorreu na quinta-feira, fora de flagrante delito.


A PJ recolheu “importantes elementos de prova, que conduziram à detenção do indivíduo, o qual será presente à autoridade judiciária competente para primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação tidas por adequadas”.


Fonte: O Minho

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________