Cadaval: Centenário Passado a Livro com Distinção - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

segunda-feira, 24 de maio de 2021

Cadaval: Centenário Passado a Livro com Distinção

 


A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Cadaval iniciou as comemorações do seu centenário que irão prolongar-se até 2022.


Para assinalar o arranque procederam à atribuição da medalha do centenário a todos os bombeiros e à apresentação do livro alusivo em cerimónia presidida pela secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar. Cerimónia que não contou com a casa cheia de amigos e familiares dos bombeiros de outros anos devido à pandemia, mas que, apesar disso, não deixou de decorrer com a dignidade e simbolismo necessário.


Além da entrega da medalha do centenário, a secretária de Estado procedeu à colocação no estandarte da Associação da medalha de mérito proteção e socorro distinto azul e grau ouro. Mais tarde, 3 elementos do corpo de bombeiros, o subchefe Paulo Santos, o chefe do quadro de honra, Octávio Rosário e o bombeiro de 3ª do quadro de honra, José Miguel, receberam a medalha de dedicação e altruísmo da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) relativa a mais de 30 anos de serviço.


A apresentação do livro do centenário ocupou, contudo, grande parte da cerimónia. Coube aos seus autores, Carlos Guardado da Silva, Júlio Cardoso e Rui Henriques, na pessoa do primeiro, fazer essa apresentação cuidada e recheada de histórias e relatos passados.


O livro começa com um enquadramento da fundação da instituição e da vila e concelho do Cadaval no início do século XX. Prossegue com detalhe sobre os fundadores, a instalação de serviço de incêndios e serviço de ambulância e vicissitudes associadas.


A memória dos primeiros 50 anos é particularmente rica, quer no socorro, quer na atividade cultural. Nesta área insere-se o então Grupo Dramático dos Bombeiros Voluntários do Cadaval, a Banda, a exibição de cinema e o desporto.


A segunda metade do século tem também história própria, com as atividades de socorro e cultura e, em especial, uma referência aos funcionários e outra à sede da Associação e ao quartel. Fica assim concluída uma obra que dignifica o trabalho gracioso dos autores e a própria história da associação.

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________