Sócios dos Bombeiros Voluntários do Porto Vão Impugnar Assembleia Geral - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quarta-feira, 17 de março de 2021

Sócios dos Bombeiros Voluntários do Porto Vão Impugnar Assembleia Geral

 


Reunião foi realizada terça-feira via plataforma Zoom, mas há sócios que se queixam de não ter recebido o link e o código para participar na sessão.


Os sócios da Real Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Porto vão impugnar a assembleia geral que decorreu terça-feira via plataforma Zoom. Entre várias "irregularidades" detetadas, o JN sabe que só oito pessoas, incluindo membros da direção, estiveram online. Isto porque os sócios, apesar de se terem registado por mail, não chegaram a receber o link e o código de acesso da sessão.


Motivo, aliás, que fez com que Mário Lino, sócio desde abril de 2017, apresentasse três queixas no livro de reclamações. Mas de nada valeu e lamenta não ter conseguido assistir à reunião. "Só espero que antes de junho, altura em que devem decorrer eleições, a Autoriade Nacional de Emergência e Proteção Civil, assim como o Departamento de Investigação eAção Penal do Porto tomem uma atitude perante tantas ilegalidades , uma vez que esta instituição centenária está a degradar-se de dia para dia".


O JN questionou o presidente da corporação, Gustavo Pereira, sobre este assunto, mas não obteve qualquer resposta.


Não houve consulta


Já outros sócios denunciaram ao JN que "não foram cumpridas as formalidades de convocação previstas nos estatutos da associação, no que diz respeito à antecedência mínima de oito dias". Da mesma forma que "os documentos submetidos à assembleia geral não estiveram patentes para consulta prévia dos associados". Assim como "o mandato do conselho fiscal terminou em 2019,pelo que este deixou de ter legitimidade para emitir quaisquer pareceres".


Fonte: JN

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________